Fundado em 17 de abril de 1904
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Livros » O Livro dos Craques
 
Apresentação

 
LETRA F
 

FIDÉLIS
Nome: José Maria Fidélis dos Santos
Nascimento: 13/3/1944     Falecimento: 28/11/2012      
Período: 1963 a 1968
Posição: Lateral-direito
Jogos: 201 (104 v, 50 e, 47 d)
Aproveitamento: 64%
Gols: 4
Expulsões: 1
Estreia: Bangu 1 x 1 América (23/6/1963)
Despedida:Bangu 2 x 2 Atlético-PR (1/12/1968)

A história de Fidélis no futebol começou nas categorias de base do Bangu, para onde foi levado por um Tenente da Base Aérea de São José dos Campos, sua cidade natal.
Em 1963, finalmente chegou aos profissionais, participando do Torneio Início e de uma partida do Campeonato Carioca daquele ano. Em 1964, com apenas 20 anos, já era o titular da lateral-direita, promovido pelo técnico Tim e mantido na posição por todos os outros treinadores que passaram pelo Bangu naquele ano.
Tendo jogado exatamente nos melhores anos da história do Bangu, não foi difícil para Fidélis se destacar. Depois de ser vice-campeão carioca em 1964 e 1965, o lateral atingiria seu auge em 1966 quando foi convocado pelo técnico Vicente Feola para a Seleção Brasileira que disputaria a Copa do Mundo na Inglaterra, embora muitos torcedores preferissem o tricolor Carlos Alberto Torres na direita. Com a camisa “canarinho”, atuou oito vezes – inclusive na derrota para Portugal (1 x 3) durante a Copa - e chegou a marcar um gol, em um amistoso contra o Peru. Quando voltou ao Brasil teve a honra de ser campeão carioca pelo Bangu no final do ano, diante do Flamengo.
“Eu dei duas bordoadas no Almir, daí ele descontou no Ladeira. Foi o jogo da minha vida” – contou o campeão.
Mesmo valorizado, o “Touro Sentado” – como era chamado - continuou em Moça Bonita por mais duas temporadas, sagrando-se novamente vice-campeão carioca em 1967. Naquele ano, particularmente, a perda do título deixou um gosto amargo em Fidélis. Titular absoluto durante toda a campanha, não atuou justamente na finalíssima contra o Botafogo, por estar machucado. Só deixou o clube no início de 1969, quando a crise gerada pela saída da família Andrade forçou o Bangu a vender seus melhores jogadores. Foi jogar no Vasco, vendido apressadamente por apenas 100 mil cruzeiros, quando valia quatro vezes mais. No clube de São Januário ganhou o Campeonato Carioca de 1970 e o Brasileiro de 1974.
Depois, atuou no América (RJ) em 1975 e no ABC (RN) em 1976 e 1977.
Ao encerrar a carreira, virou técnico, comandando com relativo sucesso as equipes do São José (SP), Campo Grande, CSA, Uberlândia e Operário (MS).
Veio a falecer em 2012, num hospital de São José dos Campos, quando lutava contra um câncer de estômago, aos 68 anos.

Todos os 4 gols de Fidélis pelo Bangu:
Fluminense (2), Atlético Mineiro (1), Campo Grande (1).


FABIANO
Nome: Fabiano da Silva
Período: 2008 a 2013
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 45 (22 v, 8 e, 15 d)
Gols: -
Revelado pelo Bangu, Fabiano estreou entre os profissionais em 2008 no Campeonato Carioca da 2ª Divisão, mas com o passar dos jogos acabou na reserva do lateral Baiano. Em 2009 foi emprestado ao Artsul (RJ), voltando para Moça Bonita em 2010, quando enfim, conseguiu seu espaço. No entanto, jamais caiu nas graças dos torcedores, que aproveitavam a proximidade com a lateral para reclamarem de seu futebol.


FABIANO LOPES
Nome: Fabiano Lopes Barbosa
Período: 2010 a 2012
Posição: Atacante
Jogos: 11 (6 v, 3 e, 2 d)
Gols: -
Vindo dos juniores, Fabiano Lopes – apelidado de “Baixinho” – atuou somente na Copa Rio de 2010 e não fez nenhum gol. Caiu em desgraça na decisão por pênaltis contra o Sendas (RJ), perdendo a última cobrança e tirando a chance do título do Bangu. Depois desse erro, em 2011, Fabiano seria emprestado ao Estácio de Sá. Voltou ao Bangu em 2012 para a disputa da Copa Rio, atuando apenas uma única vez.


FABIANO SILVA
Nome: Fabiano Jerônimo da Silva
Período: 1999 a 2003
Posição: Atacante
Jogos: 92 (28 v, 27 e, 37 d)
Gols: 30
O bom atacante Fabiano Silva veio do São Cristóvão para a disputa do Campeonato Carioca de 1999 e logo se fixou entre os titulares, formando dupla de ataque com André Biquinho. O “carequinha” fez ótimas exibições no Carioca de 2002 e permaneceu até 2003. Em 2004, no entanto, o América levou o atacante e o Bangu se enfraqueceu tanto, que chegou a ser rebaixado para a 2ª Divisão do Carioca. Sinal de que Fabiano fez falta lá na frente.


FABINHO
Nome: Fábio Silva de Paiva
Período: 1995 a 2000
Posição: Atacante
Jogos: 88 (31 v, 24 e, 33 d)
Gols: 9
O baixinho Fabinho foi revelado nas categorias de base do próprio Bangu, mas nunca conseguiu se manter como titular do ataque depois que se profissionalizou, em 1995. Entrava muitas vezes no no decorrer das partidas e de quando em quando, marcava seus golzinhos. Em 2001, foi para o América e depois para a Portuguesa (RJ), Angra dos Reis, Aperibeense e Teresópolis.


FABINHO
Nome: Fábio da Silva Alves
Período: 2012
Posição: Atacante
Jogos: 9 (4 v, 3 e, 2 d)
Gols: -
Ex-jogador do Cruzeiro, o atacante Fabinho estava atuando no futebol do Qatar quando foi repatriado para ajudar o Bangu no Campeonato Carioca de 2012. O time conseguiu escapar do rebaixamento, mas não precisou depender dos gols de Fabinho para isso. Em nove jogos, o atacante não conseguiu balançar as redes nenhuma vez.


FÁBIO
Nome: Fábio de Oliveira Martins
Período: 1987 a 1988
Posição: Zagueiro
Jogos: 22 (9 v, 7 e, 6 d)
Gols: -
Reserva por dois anos seguidos, o zagueiro Fábio acabou negociado com o Mixto de Cuiabá.


FÁBIO
Nome: Fábio Carvalho Teixeira
Período: 1995 a 1996
Posição: Meio-campo
Jogos: 51 (10 v, 24 e, 17 d)
Gols: 5
Expulsões: 3
O meia Fábio foi um dos bons valores trazido pelo ex-jogador e empresário Pedrinho Vicençote em 1995. Viveu seu dia de glória quando marcou um gol no último minuto contra o Flamengo, em Moça Bonita, no empate em 2 a 2 pelo Campeonato Carioca de 1996. Naquele mesmo ano chegou a ser emprestado para o próprio Flamengo durante uma excursão do clube rubro-negro à Espanha.


FÁBIO
Nome: Fábio Sampaio Lorena
Período: 2006 a 2007
Posição: Lateral-direito
Jogos: 7 (2 v, 4 e, 1 d)
Gols: -
Expulsões: 1
Lateral revelado pelo próprio clube, Fábio foi titular durante a péssima campanha do Bangu no Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2006. Continuou para a temporada de 2007, mas como já não tinha chances, foi negociado com o Red Bull (SP) e depois retornou ao Rio para jogar no Sendas.


FÁBIO AZEVEDO
Nome: Fábio Freitas Azevedo
Período: 2008
Posição: Meio-campo
Jogos: 13 (8 v, 4 e, 1 d)
Gols: 1
Emprestado pelo Resende para participar do Campeonato Carioca da 2ª Divisão, o meia Fábio Azevedo ajudou o Bangu a conquistar o título. Começando como reserva, ao final da competição, já era titular do meio-campo. Marcou um gol diante do Olaria. Em 2009, no entanto, foi devolvido para o Resende.


FÁBIO COSTA
Nome: Fábio Bittencourt da Costa
Período: 2000
Posição: Meio-campo
Jogos: 7 (2 v, 1 e, 4 d)
Gols: 3
Vindo do Fluminense, o meia Fábio Costa jogou algumas partidas do Torneio Seletivo e do Campeonato Carioca de 2000. Depois, foi atuar no Madureira.


FÁBIO GULLIT
Nome: Fábio Cruz Vitorino
Período: 1998 a 2005
Posição: Volante
Jogos: 36 (19 v, 11 e, 6 d)
Gols: 1
Protegido do técnico Alfredo Sampaio, Fábio ganhou o apelido de “Gullit” por causa do seu cabelo, no mesmo estilo do grande craque holandês. As semelhanças, no entanto, param por aí: enquanto o verdadeiro Gullit era atacante, o banguense atuava como volante. Saiu do Bangu ao final da temporada de 1999, mas voltou em 2005 para participar do Campeonato Carioca da 2ª Divisão. No ano seguinte, estava no Ceres (RJ), depois no Vilavelhense (ES) e por muitos anos, na Portuguesa.


FÁBIO LIMA
Nome: Fábio André Guimarães Lima
Período: 2012
Posição: Meio-campo
Jogos: 6 (1 e, 5 d)
Gols: -
Expulsões: 1
Vindo do Olaria, o meia Fábio Lima nunca conseguiu realizar boas partidas com a camisa do Bangu. O técnico Cleimar Rocha acabou tirando-lhe qualquer nova chance, quando ele foi expulso logo após entrar em campo, numa partida contra o Bonsucesso, pelo Campeonato Carioca de 2012.


FÁBIO NEY
Nome: Fábio Ney Nascimento de Assis
Período: 2010 a 2013
Posição: Zagueiro
Jogos: 23 (8 v, 10 e, 5 d)
Gols: 1
Expulsões: 1
Revelado nas categorias de base do próprio clube, “Fabão” – como era chamado - ganhou suas primeiras chances entre os profissionais durante a Copa Rio de 2011, ficando na reserva da dupla de zaga Abílio e Carlos Renan. Continuou no elenco em 2012, conquistando cada vez mais espaço entre os profissionais.


FÁBIO PAULISTA
Nome: -
Período: 2014
Posição: Meio-campo
Jogos: 2 (1v, 1 d)
Gols: 1
Jogou apenas o Torneio Quadrangular de Vitória de 2014 pelo Bangu. No entanto, marcou um gol na partida contra o Rio Branco.


FÁBIO REIS
Nome: Fábio Miguel dos Reis
Período: 2012
Posição: Atacante
Jogos: 2 (1 v, 1 e)
Gols: -
Fábio Reis estava no Náutico quando veio para o Bangu no meio do Campeonato Carioca de 2012. Teve, porém, pouquíssimas chances de mostrar seu valor na equipe do técnico Cleimar Rocha.


FÁBIO SACI
Nome: Fábio Guimarães da Silva
Período: 2009 a 2012
Posição: Atacante
Jogos: 10 (3 v, 5 e, 2 d)
Gols: 1
O folclórico Fábio Saci tinha tido boas passagens no Bahia e no Náutico antes de chegar ao Bangu para participar do Campeonato Carioca de 2009. Em Moça Bonita não rendeu o esperado, ficou na reserva de Bruno Luiz e quando entrou em campo não conseguiu marcar um gol sequer. Depois, foi jogar no ABC (RN) e no Inter de Santa Maria (RS), voltando ao Bangu em 2012, para a disputa da Copa Rio, quando finalmente marcou seu único gol pelo clube, fundamental para a vitória diante do rival América.


FÁBIO TERRA
Nome: Fábio dos Santos Terra
Período: 2003
Posição: Zagueiro
Jogos: 7 (2 v, 2 e, 3 d)
Gols: -
Revelado pelo América, Fábio Terra veio para o Bangu disputar o Campeonato Carioca de 2003, mas ficou na reserva da dupla de zagueiros Cléberson e Naílton. De Moça Bonita foi jogar pelo CFZ (RJ).


FABRÍCIO CARVALHO
Nome: Fabrício Carvalho Pereira
Período: 2000 a 2006
Posição: Meio-campo
Jogos: 22 (6 v, 10 e, 6 d)
Gols: 4
Expulsões: 2
Fabrício Carvalho foi emprestado pelo Vasco para participar do Campeonato Carioca de 2000. Seis anos depois, retornou a Moça Bonita quando o time estava disputando a 2ª Divisão do Rio. Apesar de ser um bom cobrador de faltas, na vitória sobre o Serrano por 1 x 0, Fabrício ficou de dentro de campo discutindo com os torcedores na arquibancada e ali mesmo encerrou sua carreira pelo clube e foi jogar no Rubro de Araruama. Atuou também pelo Bahia e Volta Redonda.


FÁGNER
Nome: -
Período: 2002
Posição: Lateral-direito
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
Atleta dos juniores, Fágner entrou no lugar de Rogério Corrêa numa partida contra o Fluminense (0 x 1) pelo Campeonato Carioca de 2002, quando o Bangu estava atuando com seu time reserva.


FAJARDO
Nome: Carlos Eduardo Fajardo Viana
Período: 1986
Posição: Meia-atacante
Jogos: 14 (7 v, 5 e, 2 d)
Gols: 1
Emprestado pelo Friburguense para a temporada de 1986, o meia-atacante Fajardo não conseguiu agradar e foi dispensado antes mesmo de o ano terminar.


FALAMANSA
Nome: Luís Fernandes Augusto Júnior
Período: 2006
Posição: Meio-campo
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
Com um apelido desses, estava claro que “Falamansa” jamais iria fazer sucesso no futebol. Na única vez que vestiu a camisa banguense, o time perdeu de goleada para o Tigres, pelo Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2006. O Bangu, pelo menos, ganhou um dinheiro com o atleta, transferindo-o para o desconhecido F. C. Vardar, da Macedônia, no mesmo ano. 


FAUSTO
Nome: Fausto dos Santos
Período: 1926 a 1928
Posição: Meio-campo
Jogos: 68 (29 v, 8 e, 31 d)
Gols: 5
A família de Fausto chegou ao Rio de Janeiro em 1920, vinda de Codó, no interior do Maranhão. Em 1926, aos 21 anos, Fausto foi tentar a sorte no futebol, conseguindo fazer um teste no Bangu. Aprovado, começou a jogar como atacante antes de passar a centro-médio de muito vigor, ótimo domínio de bola e grande visão de jogo. Pelo alvirrubro, Fausto disputou três campeonatos cariocas e logo chamou a atenção do Vasco da Gama, que levou o craque para São Januário em 1929. No ano seguinte, foi convocado para a Seleção Brasileira que participou da Copa do Mundo no Uruguai. Em 1931, numa excursão do Vasco à Europa, foi imediatamente contratado pelo Barcelona. Depois, jogou na Suíça e voltou ao Brasil para ser campeão carioca de 1934 pelo Vasco. Novamente foi jogar fora do país, agora pelo Nacional de Montevidéu e regressou uma última vez, agora para defender as cores do Flamengo, quando já acusava os mais graves sinais de tuberculose. Morreu da doença em 1939, quando tinha apenas 34 anos.


FEFEU
Nome: Alfredo de Souza
Período: 1968
Posição: Meio-campo
Jogos: 3 (1 v, 1 e, 1 d)
Gols: -
Ex-jogador do Flamengo e São Paulo, Fefeu chegou emprestado pelo clube paulista ao Bangu para o Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968. Contundiu-se gravemente numa partida contra o Botafogo, em General Severiano, o que abreviou sua carreira no futebol. Faleceu em 2010.


FELICIANO
Nome: Feliciano Machado
Período: 1913 a 1920
Posição: Atacante
Jogos: 73 (28 v, 6 e, 39 d)
Gols: 22
Morador da Rua 12 de Fevereiro e tecelão da Fábrica Bangu, Feliciano, que era descendente de índios, ganhou a posição de titular a partir do Campeonato Carioca de 1917. Sempre marcando seus golzinhos, encerrou a carreira no final da temporada de 1920, quando não conseguiu balançar as redes uma única vez naquele ano. Faleceu precocemente, em julho de 1922, menos de dois anos após ter parado de jogar. Conta a lenda que, no leito de morte, delirando, teria pedido a camisa alvirrubra para ir treinar junto com os antigos companheiros.


FELÍCIO
Nome: Felício Corrêa
Período: 1908 a 1912
Posição: Meio-campo
Jogos: 22 (10 v, 1 e, 11 d)
Gols: -
Vindo do Esperança do Marco Seis, Felício atuou no ataque do Bangu por vários anos, mas não há registros de que tenha feito nenhum gol. Parou de jogar após o Campeonato Carioca de 1912.


FELIPE
Nome: José Felipe Gonçalves Guimarães
Período: 1986
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 2 (2 d)
Gols: -
Emprestado pelo Bonsucesso, Felipe não teve sorte. Nos dois jogos em que atuou, pelo Campeonato Carioca de 1986, em ambos o Bangu saiu derrotado e sequer marcou gols. Foi logo devolvido ao clube da Teixeira de Castro.


FELIPE
Nome: Felipe Santiago Francisco
Período: 2005
Posição: Lateral-direito
Jogos: 8 (3 v, 2 e, 3 d)
Gols: -
Felipe começou o Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2005 como titular, mas no decorrer da competição perdeu a posição para Thiago Boiadeiro.


FELIPE
Nome: Filipe Silva Elias
Período: 2016
Posição: Meio-campo
Jogos: 4 (2 v, 1 e, 1 d)
Gols: -
Vindo do Queimados (RJ), Felipe esteve no grupo que participou da BTV Cup de 2016, no Vietnã.


FELIPE
Nome: Felipe Augusto Souza da Silva
Período: 2017
Posição: Meio-campo
Jogos: 4 (2 v, 1 e, 1 d)
Gols: -
Vindo do Profute (RJ) para o Bangu, Felipe teve apenas uma única chance em 2017, numa partida contra o Madureira. Depois, foi para o Boavista, onde fez muito mais sucesso, marcou gols e ganhou o título da Copa Rio.


FELIPE ALMEIDA
Nome: Felipe Almeida Xavier
Período: 2016
Posição: Volante
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
Vindo do Potiguar (RN), o volante Felipe Almeida atuou apenas uma vez, contra o América, pela Copa Rio de 2016 e saiu de campo derrotado.


FELIPE FOCA
Nome: Felipe Pereira dos Santos
Período: 2014
Posição: Lateral-direito
Jogos: 15 (4 v, 5 e, 6 d)
Gols: -
Ex-jogador do América (RJ), Felipe Foca chegou ao Bangu para participar do Campeonato Carioca de 2014, quando teve atuar super discreta.


FELIPE LIMA
Nome: Felipe Lima Lopes
Período: 2012
Posição: Volante
Jogos: 1 (1 e)
Gols: -
Emprestado pelo Botafogo ao Bangu para a Copa Rio de 2012, o volante Felipe Lima fez apenas uma partida pelo clube durante toda a competição.


FELIPE SOBRAL
Nome: Felipe Farias Sobral
Período: 2009
Posição: Goleiro
Jogos: 6 (1 e, 5 d)
Gols sofridos: 13
Vindo da Cabofriense, Felipe Sobral defendeu o gol do Bangu apenas na Copa Rio de 2009, quando o time era muito fraco. Por isso, nem pode ser responsabilizado por ter sofrido uma média de mais de 2 gols por partida. Depois, foi jogar no CFZ (RJ).


FERNANDES
Nome: João Fernandes da Costa
Período: 1910 a 1913
Posição: Meio-campo
Jogos: 16 (9 v, 2 e, 5 d)
Gols: -
Verdadeiro “fominha de bola”, o Capitão Fernandes jogou desde a posição de goleiro até a ponta-esquerda em partidas amistosas, mas foi no meio-campo que ele conseguiu fazer dois jogos oficiais pelo Campeonato Carioca de 1913.


FERNANDES
Nome: Luís Fernandes Teixeira da Rosa
Período: 1983 a 1984
Posição: Zagueiro
Jogos: 37 (19 v, 11 e, 7 d)
Gols: 2
Expulsões: 1
Criado nas escolinhas do Vasco, Fernandes era um bom zagueiro que estava esquecido no Campo Grande. Castor de Andrade foi buscá-lo em 1983 para ser o “xerife” da zaga banguense. No Campeonato Carioca daquele ano marcou dois gols: um diante do Americano e outro, importantíssimo, numa vitória sobre o Botafogo por 1 a 0, que permitiu ao Bangu disputar o título da Taça Rio com o Flamengo. Em 1984, num amistoso contra a Seleção de Honduras, Fernandes atuou como goleiro para cobrir a ausência de Gilmar e Tião. Jogou tão bem na posição, que a crítica esportiva hondurenha chegou a classificá-lo como “El Paredón”. Em meados de 1984, no entanto, já não estava mais no clube, indo atuar no futebol da Costa Rica.


FERNANDES
Nome: -
Período: 1988
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 3 (1 v, 2 d)
Gols: -
Campeão carioca de juniores em 1987 pelo Bangu, Fernandes teve pouquíssimas chances entre os profissionais no ano seguinte.


FERNANDINHO
Nome: Cláudio Fernando Andreza
Período: 1976 a 1978
Posição: Ponta-direita
Jogos: 64 (19 v, 16 e, 29 d)
Gols: 3
Habilidoso na ponta, Fernandinho sempre teve como ponto fraco as finalizações – motivo pelo qual marcou pouquíssimos gols pelo Bangu, apenas 3: diante do América, Fast (AM) e São Cristóvão. Ao menos, o gol que fez diante do América, em Moça Bonita, pelo Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão de 1978 foi um golaço. Sozinho, correu da intermediária banguense à meta americana, driblou o zagueiro Russo e o goleiro País e tocou para as redes, a dez minutos do fim do jogo. Depois, foi jogar no Avaí.


FERNANDO
Nome: Fernando Domingos de Souza
Período: 1950 a 1956
Posição: Goleiro
Jogos: 95 (49 v, 22 e, 24 d)
Gols sofridos: 133
Fernando foi um bom goleiro revelado pelo próprio clube nos anos 50. Entrou para a história por querer ser o primeiro goleiro a marcar um gol no Maracanã. Numa partida entre Bangu e Flamengo, pelo Campeonato Carioca de 1955, decidiu cobrar um pênalti, quando o jogo ainda estava 0 a 0. Isolou a bola por sobre o gol, diante de 23 mil incrédulos torcedores, que jamais tinham visto um pênalti tão mal batido. Os rubro-negros acabaram vencendo este jogo por 2 a 0. Quando saiu, foi jogar justamente no Flamengo, onde também obteve sucesso.


FERNANDO
Nome: José Fernando Puglia
Período: 1967 a 1969
Posição: Meio-campo
Jogos: 88 (38 v, 21 e, 29 d)
Gols: 10
Expulsões: 3
Fernando começou sua carreira no Palmeiras e fez grande sucesso jogando pelo Sporting de Lisboa e pelo Palermo, da Itália. Veio em 1967 para Moça Bonita, quando estava no Bari. Vestiu a camisa do Bangu por três temporadas, sempre comandando o meio-campo, e encerrou a carreira em Moça Bonita aos 32 anos. Faleceu em 2015, quando morava em São Paulo.


FERNANDO
Nome: Fernando Silva
Período: 1970 a 1972
Posição: Meio-campo
Jogos: 49 (16 v, 12 e, 21 d)
Gols: -
Expulsões: 3
Vindo do Vasco no segundo semestre de 1970, Fernando, um meia de características defensivas, jogou três temporadas pelo Bangu e ajudou o time a conquistar o Torneio Romeu Dias Pinto, em 1972. Naquele mesmo ano, foi negociado com o Vitória.


FERNANDO
Nome: Fernando Vandermuren
Período: 1977 a 1981
Posição: Zagueiro
Jogos: 80 (29 v, 28 e, 23 d)
Gols: -
Expulsões: 1
Fernando começou nas categorias de base do Bangu e aos poucos foi se firmando como titular da zaga banguense, até ter sua carreira interrompida em 1981 por uma grave lesão. Anos mais tarde, tornou-se técnico dos juniores do próprio clube.


FERNANDO CRUZ
Nome: Luís Fernando da Cruz
Período: 1990
Posição: Meio-campo
Jogos: 12 (3 v, 4 e, 5 d)
Gols: -
Ex-jogador do Americano e do Fluminense, Fernando Cruz foi um dos reforços trazidos para o Campeonato Carioca de 1990 que não foram aprovados em Moça Bonita.


FERNANDO CUNHA
Nome: Fernando de Andrade Cunha
Período: 2011 a 2014
Posição: Goleiro
Jogos: 32 (12 v, 11 e, 9 d)
Gols sofridos: 33
Uma das grandes revelações das categorias de base do Bangu, o goleiro Fernando Cunha substituiu Wagner Braz em três partidas da Copa Rio de 2011, quando ainda tinha 19 anos. Apesar de jovem, saiu-se muito bem na defesa do arco banguense. Voltou a participar da Copa Rio, em 2012, atuando por várias rodadas em substituição a Thiago Leal, sempre com a mesma eficiência. No entanto, ao final da Copa Rio de 2014, quando começou a cometer suas primeiras falhas, foi dispensado do elenco.


FERNANDO JÚNIOR
Nome: Fernando José da Silva Júnior
Período: 2013 a 2014
Posição: Meio-campo
Jogos: 16 (8 v, 3 e, 5 d)
Gols: 1
Cria das categorias de base, o meia Fernando Júnior disputou apenas a Copa Rio de 2013 entre os profissionais e, ao término da competição, foi emprestado ao Sampaio Corrêa de Saquarema (RJ).


FERNANDO LOPES
Nome: Fernando Lopes Alcântara
Período: 2012
Posição: Zagueiro
Jogos: 8 (3 v, 5 d)
Gols: 1
Ex-jogador do Sport Recife, o zagueiro Fernando Lopes estava atuando no futebol de Hong Kong, quando foi repatriado por empresários para jogar no Bangu em 2012. Bastante alto, fez boas partidas no Campeonato Carioca daquele ano, chegando a marcar um gol diante do Resende.



FERNANDO MACAÉ
Nome: Fernando Ferreira de Assis
Nascimento: 18/5/1964      
Período: 1983 a 1991
Posição: Atacante
Jogos: 144 (64 v, 47 e, 31 d)
Aproveitamento: 62%
Gols: 40
Expulsões: 3
Estreia: Bangu 0 x 2 CRB (14/4/1983)
Despedida:Bangu 0 x 1 Vasco (8/12/1991)

Fernando Macaé, na verdade, não nasceu em Macaé, mas sim na cidade vizinha de Campos. Quando veio para o Bangu em 1983, aos 19 anos, estava brigado com o Cruzeiro, time que o revelou. Por isso, não custou quase nada aos cofres do clube. O ruivinho Macaé mostrou qualidade suficiente para se firmar no ataque logo em sua primeira temporada e foi um dos destaques do time que chegou às finais do Campeonato Carioca daquele ano. Em 1984, entretanto, teve que amargar a reserva de Paulinho Criciúma. Mas, em 1985, estava de volta à sua forma, marcando gols atrás de gols no Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão até que... teve a perna fraturada num jogo contra os uruguaios do Central Español durante um torneio na Coréia do Sul. Com isso, Macaé ficou de fora por vários meses e perdeu a chance de jogar a final contra o Coritiba. Voltou durante o Campeonato Carioca e reassumiu sua condição de titular, deixando o famoso Cláudio Adão no banco de reservas. Em meados de 1986, deixou o clube para jogar no Botafogo, numa das transações mais inacreditáveis. Pela manhã, posou na Gávea com a camisa do Flamengo. À tarde, porém, já estava em Marechal Hermes, vestindo a camisa do Botafogo. O motivo? O bicheiro Emil Pinheiro, que controlava o futebol alvinegro, ofereceu a Castor de Andrade a mesma quantia que o Flamengo, com o adicional de passar a Castor alguns pontos de bicho que ele controlava.
Do Botafogo, foi para o Belenenses, de Portugal, onde obteve muito sucesso. Voltaria a Moça Bonita em 1991, já sem a mesma facilidade em balançar as redes que tinha anteriormente, fazendo um péssimo Campeonato Carioca, junto com toda a equipe. O Bangu o negociou novamente, agora com o Amora, também de Portugal. Ficou por lá mais alguns anos e voltou ao Brasil para encerrar a carreira em 1999, jogando pelo Macaé, quando foi vice-campeão carioca da 2ª Divisão, perdendo a decisão para o Serrano, em partida realizada justamente em Moça Bonita.


FERRARETO
Nome: Guilherme Ferrareto Pires
Período: 2015
Posição: Lateral-direito
Jogos: 1 (1 v)
Gols: -
Depois de jogar por equipes pequenas de Minas Gerais e de São Paulo, o lateral Ferrareto veio emprestado para o Bangu para a disputa da BTV Cup 2015. Fez apenas uma partida e não foi mais aproveitado.



FERREIRA
Nome: Augusto Ferreira
Período: 1911 a 1912
Posição: Meio-campo
Jogos: 2 (1 v, 1 d)
Gols: -
O português Ferreira começou a temporada de 1912 jogando no 1º time banguense, mas foi sacado depois da goleada sofrida para o Paysandu por 10 x 1, logo na rodada inaugural do Campeonato Carioca. Era jardineiro da Fábrica Bangu e foi ele quem fez o gramado do campo da Rua Ferrer, em 1906.



FERREIRA
Nome: Alfredo Ferreira Júnior
Período: 1937 a 1938
Posição: Meio-campo
Jogos: 27 (4 v, 3 e, 20 d)
Gols: -
O meia Ferreira disputou apenas o Campeonato Carioca de 1937 pelo Bangu, quando o time ficou em penúltimo lugar.


FERREIRA
Nome: -
Período: 1957
Posição: Meio-campo
Jogos: 4 (3 v, 1 e)
Gols: -
Jogou apenas quatro partidas pelo time misto do Bangu em 1957, inclusive o Torneio Início daquele ano.


FERREIRA
Nome: Bruno Ferreira Vicente
Período: 2014
Posição: Volante
Jogos: 10 (5 v, 1 e, 4 d)
Gols: 2
Vindo do Gama (DF), o volante Ferreira mostrou muita disposição e pouca técnica. Chegou a marcar dois gols num mesmo jogo contra o Ceres, mas acabou não permanecendo no elenco para 2015.


FERRO
Nome: Américo da Costa Vieira
Período: 1933 a 1934
Posição: Meio-campo
Jogos: 17 (9 v, 1 e, 7 d)
Gols: -
Ferro veio do Andarahy para o Bangu no meio da temporada histórica de 1933 e disputou cinco jogos na campanha do título carioca, inclusive a decisão contra o Fluminense. Ficou pouquíssimo tempo na Rua Ferrer. No ano seguinte, trocou o alvirrubro pelo Madureira.


FIDELINHO
Nome: Orlando Fidélis dos Santos
Período: 1967
Posição: Lateral-direito
Jogos: 1 (1 e)
Gols: -
Irmão de Fidélis, o grande lateral-direito campeão em 1966, Fidelinho era atleta dos juvenis e jogou apenas uma vez pelo Bangu: durante o Torneio Início de 1967, quando os titulares estavam excursionando pelos Estados Unidos.


FIO
Nome: -
Período: 1975
Posição: Meio-campo
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
O Bangu também teve o seu “Fio”, que não era nenhuma “maravilha” e jogou apenas uma vez pelo Torneio da Integração de 1975, quando a equipe já estava eliminada.


FLAVINHO
Nome: Flávio Barbusci Neto
Período: 1990 a 2009
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 79 (22 v, 32 e, 25 d)
Gols: 3
Expulsões: 1
Ainda como atleta dos juniores, Flavinho jogou duas partidas pelo Campeonato Carioca de 1990. No entanto, só virou profissional em 1993, quando o técnico Moisés o aproveitava como ponta-esquerda. Permaneceu no time até 1998, atuando na sua posição original de lateral-esquerdo, quando fez um belo gol de falta na vitória sobre o Botafogo por 2 a 1, em Moça Bonita. Com a valorização, o clube negociou o jogador com o Vasco, onde não aproveitou a chance de decolar na carreira. Fez apenas poucos jogos no time de São Januário entre 1998 e 1999, depois foi para o Mérida, da Espanha, onde ficou apenas quatro meses. Voltou para o Brasil e jogou no Volta Redonda, no Americano, no Friburguense, no Rubro e encerrou a carreira no Bangu, atuando em um único jogo do Carioca de 2009.


FLÁVIO
Nome: Flávio Silva Azevedo
Período: 2005 a 2007
Posição: Goleiro
Jogos: 22 (9 v, 6 e, 7 d)
Gols sofridos: 19
Eterno goleiro da Cabofriense, o carequinha Flávio vestiu a camisa do Bangu, por empréstimo, em duas oportunidades: no Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2005 e de 2007.


FLÁVIO
Nome: Flávio José de Oliveira Carneiro
Período: 2012
Posição: Atacante
Jogos: 2 (2 d)
Gols: -
Em um momento de desespero, com o time acumulando derrotas no início do Campeonato Carioca de 2012, o atacante Flávio – vindo da Jacuipense (BA) – chegou a ser uma das opções do técnico Carlos César para tentar marcar gols. O jogador, no entanto, teve poucas chances e passou em branco.


FLORIANO
Nome: Floriano Gentil Pinheiro Soares
Período: 1924 a 1928
Posição: Goleiro
Jogos: 46 (17 v, 6 e, 23 d)
Gols sofridos: 101
Floriano defendeu a meta banguense durante a década de 1920. Em outubro de 1927, sofreu um grave acidente de automóvel – o Ford em que ia de carona, capotou em Guaratiba – e teve seu tratamento custeado pelo próprio clube. Ao final da temporada de 1928 foi para o Flamengo, mas não para jogar futebol e sim para a equipe de basquete do clube rubro-negro.


FOGUETE
Nome: Ubiratan Gomes dos Santos
Período: 1965
Posição: Ponta-esquerda
Jogos: 4 (2 v, 1 e, 1 d)
Gols: 3
Vindo do Flamengo, o ponta-esquerda Foguete chegou no finalzinho do Campeonato Carioca de 1965 e em apenas quatro jogos, marcou três gols – sendo dois na vitória sobre o Botafogo por 3 x 0.


FRAGA
Nome: Raimundo Menezes Fraga
Período: 1937 a 1938
Posição: Zagueiro
Jogos: 8 (8 d)
Gols: -
Zagueiro vindo do Madureira, Fraga teve poucas chances durante o Campeonato Carioca de 1937 e sempre que jogou, jamais conseguiu vencer. Talvez por isso, logo parou com o futebol e virou militar de carreira da Marinha.


FRANÇA
Nome: Guiomarino de França Messias
Período: 1942
Posição: Goleiro
Jogos: 2 (2 d)
Gols sofridos: 9
Reserva do goleiro Atlante, França teve a chance de jogar apenas duas vezes e levou nove gols. Talvez por isso, logo parou com o futebol e virou militar da artilharia do Exército.


FRANÇA
Nome: Jonnathan França de Araújo
Período: 2007
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 5 (2 v, 3 d)
Gols: -
Emprestado pelo Madureira para o Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2007, o lateral França fez apenas cinco jogos num dos times mais fracos que o Bangu já montou. No ano seguinte foi jogar pelo Duque de Caxias.


FRANÇA
Nome: Alexandre Lagrange Goulart França Bastos
Período: 2015
Posição: Lateral-direito
Jogos: 3 (2 v, 1 e)
Gols: -
Expulsões: 1
O lateral França veio da Francana (SP) para o Bangu exclusivamente para a disputa da BTV Cup, no Vietnã, em 2015. Foi expulso em uma partida e não teve mais chances com o técnico Mário Marques



FRANCIS COLSTON
Nome: Francis J. Colston
Período: 1906
Posição: Atacante
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
Aceito como sócio em 7 de agosto de 1906, o inglês Francis Colston jogou apenas uma partida de futebol pelo Bangu, em 19 de agosto daquele ano. Provavelmente, se inscreveu no clube para praticar o cricket, esporte que lhe era mais familiar.


FRANCISCO
Nome: Francisco Gomes da Cunha
Período: 1920
Posição: Atacante
Jogos: 2 (1 v, 1 d)
Gols: 1
Tecelão da Fábrica Confiança, Francisco Gomes da Cunha não era morador de Bangu, vivia no bairro do Encantado, mas chegou a atuar duas vezes durante o Campeonato Carioca de 1920. Marcou um gol na partida contra o Mangueira.


FRANCISCO
Nome: Francisco de Assis Freitas
Período: 1938 a 1939
Posição: Goleiro
Jogos: 45 (16 v, 7 e, 22 d)
Gols sofridos: 95
Goleiro vindo do São Cristóvão, Francisco fez boas partidas pelo Bangu nas duas temporadas em que ficou na Rua Ferrer. Em 1940, foi jogar no Bonsucesso.


FRANCISCO
Nome: -
Período: 1944 a 1945
Posição: Meio-campo
Jogos: 2 (2 d)
Gols: -
Francisco disputou apenas duas partidas pelo Bangu, válidas pelo Campeonato Carioca. Perdeu ambas: para o Madureira (1 x 3), em 1944; e para o Vasco (2 x 6), em 1945.


FRANCISCO CARREGAL
Nome: Francisco Gomes Carregal
Período: 1905 a 1912
Posição: Atacante
Jogos: 27 (14 v, 3 e, 10 d)
Gols: 6
Eis um jogador histórico: Francisco Carregal foi o primeiro negro a figurar numa equipe de futebol no Brasil. Era o dia 14 de maio de 1905 quando ele estreou no primeiro time banguense, numa partida contra o Fluminense. Filho de pai português com mãe negra brasileira, Carregal foi relegado ao 2º time durante a temporada de 1906. Mas foi por causa dele e de outro atleta negro – o goleiro Manuel Maia – que o Bangu brigou com a Liga Metropolitana em 1907. A preconceituosa Liga exigia que o clube disputasse o Campeonato Carioca sem seus dois jogadores “de cor”. Em solidariedade a Carregal e a Maia, o Bangu ficou de fora da Liga por dois anos. Fato curioso ocorreu em 1909, nas Laranjeiras. Em um dia de temporal, o goleiro Charles Day não compareceu ao campo de jogo. Carregal não teve dúvidas, para não deixar o Bangu desfalcado, assumiu a posição. Acabou levando nove gols... Nos anos 10, chegou a ser tesoureiro do clube nas gestões dos presidentes James Hartley e Noel de Carvalho. Faleceu em 21 de abril de 1949, na cidade mineira de Paraguaçu, onde era gerente da fábrica têxtil local. Pelo seu pioneirismo, em 2001, o Bangu foi agraciado pela Câmara dos Deputados com a Medalha Tiradentes por ter sido o primeiro clube de futebol no Brasil a quebrar o preconceito existente na época e aceitar um jogador negro em seus quadros. Um reconhecimento tardio, embora mais do que merecido.



FRANCISCO DE BARROS
Nome: Francisco de Barros
Período: 1904 a 1906
Posição: Ponta-esquerda
Jogos: 13 (10 v, 1 e, 2 d)
Gols: -
O português Francisco de Barros era conhecido no bairro como “Chico Porteiro” – função que ocupava na Fábrica Bangu, assim que chegou ao Brasil. Atuou nos primórdios do clube como ponta-esquerda. Depois, abriu uma “casa de pasto” no bairro chamada “A Lusitana”. Deixou de ser sócio do clube em 1919.


FRANCISCO JÚNIOR
Nome: Francisco José Alves Júnior
Período: 2012
Posição: Meio-campo
Jogos: 8 (2 v, 3 e, 3 d)
Gols: 1
Pregador evangélico e meio-campo, Francisco Júnior foi com a delegação banguense para a Europa em 2012. Chegou a marcar um gol diante do Brandenburger Süd, da Alemanha, e ficou na Hungria para um período de testes.


FRANCISCO MACHADO
Nome: Francisco Machado
Período: 1908 a 1909
Posição: Zagueiro
Jogos: 10 (6 v, 4 d)
Gols: -
O zagueiro Francisco Machado atuou em alguns amistosos da temporada de 1908 e nos três únicos jogos que o Bangu fez no Campeonato Carioca de 1909. Depois, foi jogar no Comercial (RJ).



FRANK SLAD
Nome: Frank Slad
Período: 1906
Posição: Centroavante
Jogos: 1 (1 v)
Gols: -
O inglês Frank Slad chegou a jogar uma vez pelo Bangu em um amistoso contra o América no início de 1906.



FRED
Nome: Frederick Sidney Jacques Junior
Período: 1912 a 1917
Posição: Goleiro
Jogos: 15 (11 v, 2 e, 2 d)
Gols sofridos: 20
O inglês Fred Jr. era filho do sócio-fundador Fred Jacques. Nunca foi um goleiro muito confiável, apesar de ser o titular do time campeão carioca da 2ª divisão de 1914. Quando o Bangu descobriu que Pastor podia ser um goleiro melhor do que ele, o inglês foi relegado ao 2º time. Teve uma última chance no Campeonato Carioca de 1917, mas a goleada imposta pelo América por 6 a 1 fez com que Fred jamais tivesse outra oportunidade entre os titulares.


FRED
Nome: Frederico Rodrigues de Oliveira
Período: 1976
Posição: Zagueiro
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
Vindo do Flamengo, o zagueiro Fred jogou apenas uma vez: pelo Torneio Valdir Benevento de 1976, contra o Olaria.


FRED
Nome: Frederico da Costa Pinheiro
Período: 2008
Posição: Meio-campo
Jogos: 23 (15 v, 5 e, 3 d)
Gols: 4
Trazido pelo técnico Antônio Carlos Roy para a campanha vitoriosa do Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2008, Fred tinha sido campeão pelo Resende, em 2007, antes de chegar a Moça Bonita. Cumpriu a missão de devolver o Bangu à 1ª divisão estadual e voltou para o Resende. Em 2009, ajudou também o América a ser campeão da 2ª divisão. Em 2010, quando tentaria ser tetracampeão da segundona carioca, agora pelo Mesquita, faleceu subitamente durante uma partida contra a Cabofriense. Apesar dos esforços médicos, Fred chegou ao hospital de Cabo Frio já sem vida. Tinha apenas 26 anos.



FRED FIELDING
Nome: Frederick Fielding
Período: 1912
Posição: Centroavante
Jogos: 1 (1 v)
Gols: 1
O inglês Fred Fielding tem ao menos uma boa história para contar no seu único jogo pelo Bangu. Marcou o gol da vitória sobre o Mangueira por 1 x 0 num lance de pura sorte. O goleiro adversário espalmou para a frente, Fred estava ali parado, a bola bateu em seu peito, voltou e foi morrer no fundo das redes. Mesmo com tanta sorte, nunca mais jogou pelo Bangu.



FRED JACQUES
Nome: Frederick Sidney Jacques
Período: 1904 a 1906
Posição: Atacante
Jogos: 13 (5 v, 1 e, 7 d)
Gols: 1
Sócio-fundador do Bangu Atlético Clube, o inglês Fred Jacques foi inicialmente diretor de tênis. Sua principal marca no futebol foi ter feito o primeiro gol da história do alvirrubro: no dia 31 de julho, no Jardim da Fábrica, na vitória por 6 x 0 sobre o Andaraí. Na temporada de 1905 atuou somente como goleiro, voltando a ser atacante em 1906, seu último ano como jogador. Veio para o Brasil contratado pela Fábrica Bangu como mestre em mecânica.



FREDERICO
Nome: Frederico Pinheiro
Nascimento: 22/5/1900       Falecimento: ??/??/????
Período: 1917 a 1926
Posição: Meia-atacante
Jogos: 120 (48 v, 17 e, 55 d)
Aproveitamento: 47%
Gols: 16
Expulsões: -
Estreia: Bangu 6 x 1 Vila Isabel (17/6/1917)
Despedida:Bangu 1 x 2 Vila Isabel (23/5/1926)

Um dos grandes valores revelados pelo Escolar F. C., um time de garotos do bairro de Bangu no início do século XX, Frederico jogava tanto no meio-campo quanto no ataque. Foi escalado pela primeira vez entre os titulares do Bangu em 1917, quando tinha apenas 17 anos, mas só se firmou no 1º time banguense a partir do Campeonato Carioca de 1918. Viveu seu auge em 1921, quando foi convocado pelo dirigente Antônio Ferreira Vianna Neto para a Seleção Brasileira que iria participar do Campeonato Sul-Americano, realizado em Buenos Aires. Jogou duas partidas, contra Paraguai e Uruguai, e foi o primeiro banguense a vestir a camisa da Seleção em partidas oficiais. Frederico, entretanto, foi beneficiado pelo fato da Seleção que foi à Argentina ter sido escalada apenas com jogadores do Rio de Janeiro (os paulistas estavam em litígio com a CBD) e obrigatoriamente “brancos” (afinal, as elites esportivas não queriam que os brasileiros fossem chamados de “los macaquitos” pelos argentinos, como já ocorrera em anos anteriores). Saiu do clube no meio da temporada de 1926 para ser campeão carioca pelo Flamengo em 1927.
Foi para o rubro-negro a convite do técnico Joaquim Guimarães e com muito receio, já que na época, jogador que mudava de clube não era bem visto pelos sócios e torcedores da antiga agremiação que deixava para trás. Por isso, fez questão de deixar acordado com o Flamengo: não participaria de partida contra o “seu” Bangu.
Foi campeão carioca de 1927 e retornou ao Bangu para ser membro da diretoria em diversas ocasiões, fosse como secretário, tesoureiro, diretor de futebol ou de atletismo, e até mesmo treinador dos profissionais, o que ocorreu nos anos de 1937 e 1939.
Trabalhava como escriturário da sociedade Costa, Fortes & Cia., no centro do Rio, e morava na Avenida Bangu.



FRENCH
Nome: Archibald French
Período: 1915 a 1917
Posição: Atacante
Jogos: 55 (23 v, 5 e, 27 d)
Gols: 30
Filho de William French – primeiro presidente da história do clube -, o jovem inglês de Liverpool, Archibald French, estreou no time do Bangu em 1915, quando tinha 19 anos. Habilidoso e goleador foi peça chave no ano seguinte, quando o alvirrubro chegou a brigar pelo título carioca com o América, terminando como vice-campeão. Em 1917, ao marcar cinco gols numa partida contra o Tupi de Juiz de Fora, tornou-se recordista banguense de tentos no mesmo jogo. Seu futebol vistoso chamou a atenção do Fluminense e lá se foi French para as Laranjeiras em 1918. Infelizmente, em 29 de outubro daquele ano, com a gripe espanhola dizimando a população carioca, French foi uma das vítimas, deixando de luto tanto o Bangu quanto o Fluminense. Ao final da temporada, o tricolor sagraria-se campeão carioca e dedicaria o título a ele.  

          
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83