Fundado em 17 de abril de 1904
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Livros » O Livro dos Craques
 
Apresentação

 
LETRA S
 

SERJÃO
Nome: Sérgio Antônio Patrício
Nascimento: 13/3/1950      
Período: 1969 a 1981
Posição: Zagueiro
Jogos: 315 (99 v, 89 e, 127 d)
Aproveitamento: 45%
Gols: -
Expulsões: 4
Estreia: Bangu 0 x 0 Vasco (12/7/1969)
Despedida: Bangu 3 x 0 Joinville (21/2/1981)

O garoto Sérgio chegou ao clube em 1969, no início de um tempo que seria de “vacas magras” para o Bangu. Era alto e queria mostrar serviço como zagueiro. Só não espera que, aos 19 anos, fosse escalado pelo técnico Daniel Pinto para enfrentar o Vasco, em pleno Maracanã, formando dupla com um outro novato: Sidclei.
Acabou dando certo: o Bangu não sofreu gols naquela tarde e saiu de campo com um empate a zero. Sérgio – que futuramente viraria Serjão – tinha virado titular.
No ano seguinte, viveu sua maior emoção nos campos de futebol. No amistoso entre o Bangu e a Seleção Brasileira, teve a árdua missão de marcar Pelé durante os 90 minutos. O resultado foi um empate em 1 a 1 e Pelé não deixou sua marca.
Nos fracos times armados pelo Bangu durante os anos 70, a dupla Serjão e Sidclei até que ganhou projeção estadual, até que o parceiro foi vendido para o Náutico. Era hora de formar uma nova zaga, agora com Luís Alberto Severino – o veterano campeão de 66. Depois dele, veio Sérgio Cosme. E Serjão sempre lá, puro vigor físico, pouca habilidade. Sempre recebendo os elogios dos jornais, que sabiam enaltecer seus esforços.
Mesmo assim, não era um jogador visado pelas arbitragens. Pelo número de partidas que fez (316), foi expulso de campo apenas quatro vezes.
A partir de 1980, quando Castor de Andrade reassumiu o comando do clube e contratou vários reforços, Serjão perdeu seu espaço. A dupla de área era formada agora por Moisés e Rodrigues. Pela primeira vez, ele ficava na reserva.
Em 1981, sem qualquer chance de atuar – Moisés, Fernando e Renê eram os preferidos do técnico Décio Leal -, Serjão foi vendido ao Volta Redonda. Em 1982, foi para o Madureira. Em 1984, tornou-se campeão capixaba pela Desportiva e, em 1985, encerrou a carreira no Bonsucesso.



SÁ PINTO
Nome: Euclides Benedito da Conceição
Nascimento: 31/1/1903      Falecimento: ??/??/????
Período: 1929 a 1936
Posição: Zagueiro
Jogos: 192 (88 v, 42 e, 62 d)
Aproveitamento: 56%
Gols: 2
Expulsões: 1
Estreia: Bangu 1 x 9 Vasco (7/4/1929)
Despedida: Bangu 1 x 3 Botafogo (19/1/1936)

Sá Pinto não era nome. Era apelido. Na verdade, chamava-se Euclides e apareceu para o mundo do futebol no Vasco de 1926, quando foi vice-campeão carioca. Porém, no time da Cruz de Malta ficou somente até 1927. Em 1928, foi defender o Vila Isabel. Mas o time era ruim, ficou em último lugar no Campeonato Carioca e foi rebaixado.
Mesmo assim, o baixinho Sá Pinto – tinha 1m61 - conseguiu se destacar, a ponto de ir para o Bangu em 1929. Sá Pinto era o menor jogador do elenco. E, curiosamente, era zagueiro. Seria ele o primeiro beque a fazer dupla de área com o garoto promissor Domingos da Guia.
Por ser pequenino, tinha que compensar com a habilidade e, principalmente, com a velocidade. E foi isso que o manteve durante tantos anos no time titular do Bangu.
Só foi perder a posição no meio do Campeonato Carioca de 1933. Luiz Vinhaes preferiu contar com os grandões Mário e Camarão. Mesmo assistindo a finalíssima contra o Fluminense do banco, Sá Pinto pode dizer para o resto da vida que atuou em cinco jogos da campanha do título, durante todo o 1º turno.
Recuperou a posição no ano seguinte, encerrando a carreira em plena forma, no início de 1936. Logo virou auxiliar do técnico Zé Maria naquela temporada. Mas, mudou de ramo. Foi ser pintor da Secretaria Geral de Viação, Trabalho e Obras Públicas.
Sá Pinto foi pai do ponta-esquerda Newland, que jogou no Bangu na temporada de 1947.


SABARÁ
Nome: Iraí Cândido de Almeida
Período: 1960 a 1968
Posição: Atacante
Jogos: 28 (13 v, 7 e, 8 d)
Gols: 6
Não se tratava do famoso Sabará, do Vasco, e sim um outro “Sabará”, vindo do Bonsucesso para o Bangu em 1966. Sempre relegado à reserva, Sabará ficou no clube por três anos, tendo suas maiores oportunidades durante o Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968, chegando a marcar dois gols diante da Portuguesa de Desportos, no Maracanã. Em 1969, foi jogar na Portuguesa da Ilha do Governador.


SAIRÚ
Nome: Luís Antônio de Medeiros Senna
Período: 1995 a 1996
Posição: Atacante
Jogos: 10 (4 v, 3 e, 3 d)
Gols: -
Vindo do Rio das Ostras, Sairú nunca conseguiu deixar de ser reserva do ataque banguense. Nas dez vezes que entrou em campo, sequer conseguiu marcar um único gol.


SALATIEL
Nome: Salatiel Santos de Menezes
Período: 2015 a 2016
Posição: Atacante
Jogos: 6 (4 v, 1 e, 1 d)
Gols: 3
O baiano Salatiel, depois de rodar por várias equipes pequenas do país e do exterior, acabou se juntando ao Bangu na excursão ao Vietnã em 2015. Lá foi campeão da BTV Cup, marcou três gols e foi um dos melhores jogadores do torneio. Permaneceu no clube em 2016, mas logo se contundiu gravamente.


SALES
Nome: Paulo César Silva Sales
Período: 1990 a 1991
Posição: Volante
Jogos: 71 (25 v, 23 e, 23 d)
Gols: 2
Campeão brasileiro pelo Bahia em 1988, Sales foi contratado pelo Bangu em 1990, ficando no clube até o final da temporada de 1991.


SALES
Nome: Rodrigo Salles da Costa
Período: 2002 a 2003
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 14 (3 v, 3 e, 8 d)
Gols: -
Reserva de Marquinhos em 2002, o lateral Sales foi titular apenas durante o Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão de 2003, quando o Bangu colocou em campo uma equipe bastante frágil. Em 2004, foi jogar no América (RJ).


SALGUEIRO
Nome: Arlindo Lopes
Período: 1937 a 1938
Posição: Zagueiro
Jogos: 22 (3 v, 4 e, 15 d)
Gols: -
Expulsões: 1
Salgueiro disputou apenas o Campeonato Carioca de 1937 pelo Bangu, fazendo dupla de zaga com Mário. No final da competição, já em 1938, perdeu a posição para Ludovico.


SALOMÃO
Nome: Salomão Mendes Serra Filho
Período: 2007
Posição: Atacante
Jogos: 7 (2 v, 1 e, 4 d)
Gols: 1
Vindo do Americano do Maranhão, Salomão era reserva da fraca equipe que participou do Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2007.


SALVADOR
Nome: Salvador Monteiro
Período: 1939
Posição: Meio-campo
Jogos: 3 (3 v)
Gols: -
Meia de características defensivas, Salvador disputou apenas três amistosos pelo Bangu no ano de 1939.


SALVADOR
Nome: Salvador Muniz
Período: 1951 a 1955
Posição: Zagueiro
Jogos: 58 (27 v, 13 e, 18 d)
Gols: 1
Vindo dos aspirantes, Salvador tinha pouca experiência quando foi escalado para jogar a finalíssima do Campeonato Carioca de 1951 contra o Fluminense, devido aos desfalques de Mendonça e Rafanelli. O Bangu perdeu por 2 a 0, ficou com o vice-campeonato. Salvador não levou a culpa, mas sua carreira nunca decolou. Continuou no Bangu até 1955, atuando esporadicamente. Depois, foi vestir a camisa do Madureira.


SAMUEL
Nome: Samuel de Jesus
Período: 1971
Posição: Atacante
Jogos: 36 (11 v, 8 e, 17 d)
Gols: 9
Expulsões: 2
Contratado pelo Bangu em 1971, Samuel fez uma boa temporada. Seu maior destaque foi ter marcado dois gols diante do Vasco na vitória alvirrubra por 4 a 0, em General Severiano. Em 1972, foi negociado com o Bonsucesso.


SAMUEL
Nome: Samuel Lucas Muniz da Silva Alves
Período: 2015
Posição: Atacante
Jogos: 7 (3 v, 2 e, 2 d)
Gols: 4
Jogador experiente, vindo do Bragantino (SP), Samuel foi o melhor nome do Bangu na disputa da Copa Rio, em 2015, quando o clube naufragou totalmente. Ao menos, ele se salvou, anotando quatro gols.


SANCHES
Nome: José Domingos Sanches
Período: 1935 a 1936
Posição: Goleiro
Jogos: 2 (2 d)
Gols sofridos: 7
Reserva de Euclides, Sanches entrou em campo apenas duas vezes, para enfrentar os grandes times da época – Vasco e Botafogo – e não conseguiu evitar que muitos gols entrassem em sua meta.


SANCHES
Nome: Arnaldo Norberto Sanches
Período: 1972 a 1975
Posição: Goleiro
Jogos: 35 (6 v, 7 e, 22 d)
Gols sofridos: 58
Expulsões: 1
Vindo do Campo Grande, o goleiro Sanches foi titular do Bangu até que o jovem Luiz Alberto conseguiu desbancá-lo. Chegou a ser emprestado ao Náutico, mas voltou ao Rio de Janeiro, para jogar pelo Americano.


SANDRO
Nome: Sandro Buitrago de Sales
Período: 1993 a 1994
Posição: Lateral-direito
Jogos: 12 (5 v, 6 e, 1 d)
Gols: 2
O lateral Sandro jogou algumas partidas nas duas temporadas em que ficou em Moça Bonita. Na maior parte do tempo, ficava na reserva de Bimba. Ao término do contrato, voltou para Minas Gerais e passou a atuar em times amadores.


SANDRO
Nome: -
Período: 1999
Posição: Meio-campo
Jogos: 9 (2 v, 5 e, 2 d)
Gols: 1
Meia ofensivo, Sandro disputou, com muita discrição, o Campeonato Carioca de 1999. Chegou a marcar um gol diante do Olaria.


SANDRO
Nome: Sandro Perozo de Oliveira
Período: 2004
Posição: Lateral-esquerdo
Jogos: 14 (2 v, 4 e, 8 d)
Gols: -
Ex-jogador do Ceres e do São Cristóvão, Sandro veio para o Bangu participar do Campeonato Carioca de 2004. No entanto, tudo o que conseguiu foi ser rebaixado naquela campanha vexatória.



SANFILIPPO
Nome: José Francisco Sanfilippo
Período: 1968
Posição: Atacante
Jogos: 14 (7 v, 7 d)
Gols: 3
Craque da Seleção Argentina, Sanfilippo chegou ao Bangu já com 33 anos, depois de atuar no San Lorenzo, Boca Juniors, Nacional (Uruguai) e Banfield. Artilheiro nato, o argentino não conseguiu sucesso em Moça Bonita durante o Campeonato Carioca de 1968. Marcou apenas três gols, todos em um amistoso diante do América de Teófilo Otoni. Apagado, Sanfilippo foi negociado com o Bahia.


SANTA CRUZ  
Nome: Adílson Ribeiro da Silva
Período: 1968
Posição: Atacante
Jogos: 5 (4 v, 1 d)
Gols: -
O atacante Santa Cruz foi testado apenas durante alguns amistosos de 1968. Tinha esse apelido por causa do bairro de onde veio. Como não teve espaço em Moça Bonita, foi emprestado para o Itabuna (BA), junto com Élcio, outro atacante alvirrubro. Como o time baiano gostou de seu futebol, comprou o passe. Depois, Santa Cruz faria sucesso tanto no América (RN) quanto no ABC de Natal.



SANTANA
Nome: João José Sant´Anna
Nascimento: 2/10/1908      Falecimento: 22/3/1977
Período: 1927 a 1936
Posição: Meio-campo
Jogos: 184 (86 v, 32 e, 66 d)
Aproveitamento: 55%
Gols: 12
Expulsões: 1
Estreia: Bangu 0 x 5 Botafogo (20/3/1927)
Despedida: Bangu 2 x 3 Madureira (29/11/1936)

Ele começou a jogar cedo pelo Bangu. Com 19 anos teve as primeiras chances, mas estava na posição errada. Foi colocado como atacante nas temporadas de 1927 e 1928. Era reserva, atuava de quando em quando e não conseguia marcar gols. Parecia um mau prenúncio para a carreira de Santana.
No entanto, a partir de 1929, quando acharam o verdadeiro lugar dele – center-half -, Santana foi “figurinha carimbada” do Bangu em todas as escalações até 1934.
Neste mesmo ano, apesar de ter, finalmente, obtido a titularidade no Bangu, Santana sofreu um baque psicológico. Poucos dias antes de uma partida contra o São Cristóvão, sua namorada Georgina Vasconcelos se suicidara ateando álcool e fogo às vestes. O motivo era a discordância da mãe portuguesa, que não queria que sua filha, uma operária da Fábrica Bangu de apenas 16 anos, namorasse um jogador de futebol, ainda por cima, negro.
Mesmo abalado, Santana atuou contra o São Cristóvão, vendo na partida uma forma de esquecer o terrível acontecimento, pelo menos durante o tempo regulamentar de jogo.
Naquela época, ao lado de Zé Maria e Eduardo, Santana formava uma linha média muito forte. Ousado, também ia ao ataque e passou, enfim, a anotar alguns gols, como o que fez diante do Flamengo, no campo da Rua Paysandu, no último minuto, que garantiu a vitória por 3 a 2 ao Bangu em 1930.
Peça importante do time, Santana atuou nos dez jogos que deram ao Bangu o título carioca de 1933 e nos dois que levaram à conquista do Torneio Início de 1934, ao lado de Médio e Ferro.
Ao final daquele ano, durante o Torneio Extra voltou a fazer as vezes de atacante, aproveitando-se da suspensão imposta a Ladislau. Em 1935, decidiu parar com o futebol. No entanto, ao ver que o time ainda precisava dele, regressou aos gramados para sua última temporada, em 1936, sem muito sucesso.
Marcou 12 gols com a camisa alvirrubra, diante dos seguintes adversários: Bonsucesso (3), Fluminense (2), Olaria (2), São Cristóvão (2), Flamengo, Goytacaz e América.
Faleceu no próprio bairro, em 1977.


SANTIAGO
Nome: Petrony Santiago de Barros
Período: 2012
Posição: Zagueiro
Jogos: 7 (3 v, 3 e, 1 d)
Gols: -
Trazido às pressas no meio do Campeonato Carioca de 2012, o zagueiro Santiago chegou ao Bangu já veterano, vindo do Duque de Caxias. Fez poucos jogos, deu segurança à zaga, mas logo se lesionou.


SARTORI
Nome: -
Período: 1963
Posição: Zagueiro
Jogos: 2 (1 e, 1 d)
Gols: -
Zagueiro dos aspirantes, Sartori disputou apenas o Torneio Início de 1963, jogando duas partidas de 20 minutos cada uma. No ano seguinte foi atuar no Fluminense de Nova Friburgo, onde curiosamente virou goleiro do time. 


SASSÁ
Nome: Jéferson Gomes de Oliveira
Período: 2006 a 2010
Posição: Atacante
Jogos: 74 (31 v, 18 e, 25 d)
Gols: 11
Expulsões: 1
Cria das categorias de base, Sassá foi lançado muito novo entre os profissionais, com a imensa responsabilidade de ser um bom atacante. O garoto, no entanto, não estava preparado e, apesar de correr muito, tinha um chute muito fraco para definir as jogadas. Virou então o símbolo maior das péssimas campanhas do Bangu na 2ª divisão do Campeonato Carioca em 2006 e 2007. Regenerou-se em 2008, sendo campeão e marcando, inclusive, um gol na decisão contra o Aperibeense. Em 2010, teve uma boa participação na 1ª divisão do Carioca e a diretoria não perdeu tempo: negociou o jovem para o futebol português. No Vitória de Setúbal voltou a ser o fraco Sassá de sempre: saiu sem marcar um único gol.


SCHNEIDER
Nome: Schneider Cordeiro da Silva
Período: 2007
Posição: Lateral-direito
Jogos: 9 (2 v, 2 e, 5 d)
Gols: -
Jogador de sucesso no Volta Redonda, quando foi vice-campeão estadual em 2005, Schneider desembarcou no Bangu para participar do Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2007. O time foi muito mal naquela competição e o lateral voltou rapidamente para a “Cidade do Aço”.


SEBASTIÃO
Nome: Sebastião Barbosa
Período: 1908 a 1913
Posição: Goleiro
Jogos: 6 (3 v, 3 d)
Gols sofridos: 12
Sebastião foi goleiro do clube apenas durante as temporadas de 1908 e 1913, mesmo assim atuando nas ausências de Charles Day e de Heráclito Soares.



SEGUNDO MAFFEU
Nome: Segundo Maffeu
Período: 1904 a 1906
Posição: Meio-campo
Jogos: 16 (9 v, 1 e, 6 d)
Gols: 1
Um dos fundadores do Bangu Atlético Clube, o italiano Segundo Maffeu entrou para a história por ter marcado o primeiro gol no campo da Rua Ferrer, no dia 13 de maio de 1906, na vitória por 2 x 0 sobre o Riachuelo.


SEPETIBA
Nome: -
Período: 1950 a 1951
Posição: Atacante
Jogos: 2 (2 v)
Gols: -
Jogador dos aspirantes, o atacante Sepetiba – que herdou o apelido do bairro onde vivia -, atuou apenas duas vezes, substituindo os craques Menezes e Joel.


SERGINHO
Nome: Sérgio Montosa
Período: 1970 a 1972
Posição: Ponta-esquerda
Jogos: 14 (3 v, 5 e, 6 d)
Gols: -
O ponta Serginho veio para o Bangu no segundo semestre de 1970 e participou da excursão do clube à África e do Campeonato Carioca de 1971, sem muito destaque.


SERGINHO
Nome: Sérgio Fernandes da Silva
Período: 1978
Posição: Meio-campo
Jogos: 29 (10 v, 6 e, 13 d)
Gols: 4
Meia talentoso, Serginho jogou apenas a temporada de 1978 pelo Bangu. Depois, foi negociado com o Fortaleza.


SERGINHO
Nome: -
Período: 1982
Posição: Ponta-direita
Jogos: 2 (1 v, 1 e)
Gols: -
Jogador dos juniores, Serginho atuou apenas duas vezes durante o ano de 1982, sempre entrando no segundo tempo, no lugarde Dreyfus e de Miguelzinho.



SERGINHO
Nome: Sérgio Augusto Lopes
Nascimento: 28/1/1970      
Período: 1989 a 1997
Posição: Atacante
Jogos: 188 (71 v, 59 e, 58 d)
Aproveitamento: 53%
Gols: 37Expulsões: 3
Estreia: Bangu 1 x 1 Cabofriense (3/5/1989)
Despedida: Bangu 1 x 2 Americano (31/5/1997)

Mineiro de Cataguases, Serginho chegou ao clube em 1987, na categoria juvenil, passando pela peneira do treinador Ocimar. Em 1988, já estava entre os juniores. E logo em 1989, em uma partida contra a Cabofriense, estreava pelos profissionais, sob o comando do técnico Pinheiro.
Assinou seu primeiro contrato em 1990 e no mesmo ano marcou um gol em cima do Paraná pelo Brasileiro da 3ª Divisão. Com 20 anos, era titular do Bangu e se encaminhava para ser o maior artilheiro do clube na década de 90.
Depois de atuar com sucesso em 1991, os gols foram rareando em 1992 e ele foi emprestado para o América para a disputa do Campeonato Carioca. Retornou em 1993, saindo novamente no segundo semestre, levado pelo técnico Moisés para jogar pelo Atlético Mineiro.
Em 1994, lá estava Serginho em Moça Bonita mais uma vez. O atacante viveu um grande momento em 1995, marcando muitos gols na disputa da Copa Rio, inclusive três em uma goleada sobre o Flamengo por 4 a 1, na Gávea.
Curiosamente, o Bangu nunca conseguia vendê-lo para um grande clube. Por isso, ele sempre era emprestado e depois retornava. Em 1996, disputou o Estadual pelo Barreira de Bacaxá.
Fez sua última temporada com a camisa alvirrubra em 1997, sendo o principal artilheiro do time durante o Campeonato Carioca. Especialista no jogo aéreo, marcou um belo gol de “peixinho” contra o Fluminense, nos minutos finais, que deu ao Bangu a vitória por 1 a 0, em Moça Bonita.
Ao término da competição, deixou definitivamente o clube, sendo comprado pelo Ituano (SP). Serginho jogaria até 2006, quando encerrou a carreira de muitos gols no Bandeirante de Birigui (SP).


SERGINHO
Nome: Sérgio Henrique Silva Guedes
Período: 2003
Posição: Meio-campo
Jogos: 5 (1 e, 4 d)
Gols: -
Formado nas categorias de base do Botafogo, o meia Serginho estava no Vitória (BA) quando veio para o Bangu disputar o Campeonato Carioca de 2003. Não obteve muito sucesso e, em 2004, já estava vestindo a camisa do Caxias (RS).


SÉRGIO CARVALHO
Nome: Sérgio Carvalho
Período: 1974
Posição: Ponta-direita
Jogos: 6 (6 d)
Gols: -
Na péssima equipe do Bangu de 1974, Sérgio Carvalho era o ponta-direita. Nas seis partidas em que atuou, não conseguiu sequer um empate.



SÉRGIO COSME
Nome: Sérgio Cosme Cupello Braga
Nascimento: 28/9/1950      
Período: 1974 a 1978
Posição: Zagueiro
Jogos: 104 (27 v, 32 e, 45 d)
Aproveitamento: 40%
Gols: 1
Expulsões: 7
Estreia: Bangu 3 x 1 Entrerriense (28/7/1974)
Despedida: Bangu 0 x 2 Fluminense (29/11/1978)

Revelado pelo Fluminense, Sérgio Cosme teve não teve muitas chances nas Laranjeiras. Por isso, acabou saindo de lá, de certa forma, magoado: “Futebol, modéstia à parte, eu mostrava. Mas queriam porque queriam me comparar ao Galhardo, na época um ídolo da torcida. Esquentei a cabeça e acabei saindo”.
Foi no Bangu que o zagueirão encontrou espaço para mostrar o seu futebol. Chegou no segundo semestre de 1974 para formar numa das piores equipes que o alvirrubro já tinha montado em toda sua história. Como praticamente todo o elenco foi dispensado, Sérgio Cosme deixou o clube ao término da competição.
Porém, o Bangu voltou a precisar de seus serviços e ele regressou em 1976. A equipe ainda era fraca, fracassou no Campeonato Carioca, mas deu a volta por cima no segundo semestre ao ganhar o Torneio da Integração.
Zagueiro viril, acumulou várias expulsões de campo nas quatro temporadas em que defendeu o Bangu. Porém, ao lado de Serjão, formou a melhor dupla de zaga do clube nos anos 70.
Ao término da temporada de 1978, a diretoria decidiu não mais renovar com o zagueiro. Queria fazer mudanças estruturais na equipe para 1979 – que, na verdade, pouco influenciaram nos resultados -, com isso, Sérgio Cosme foi negociado com a Portuguesa da Ilha do Governador.
Depois de pendurar as chuteiras, iniciou uma vitoriosa carreira de treinador, passando, inclusive, pelo Bangu, em duas oportunidades: 1991 e 1996.


SÉRGIO JÚNIOR
Nome: Sérgio Guimarães da Silva Júnior
Período: 2012 a 2013
Posição: Atacante
Jogos: 41 (14 v, 15 e, 12 d)
Gols: 16
Expulsões: 1
Aos 33 anos, Sérgio Júnior estava no São Bento (SP) quando foi trazido para marcar os gols que o Bangu precisava no Campeonato Carioca de 2012. Durante o 2º turno da competição, fez sete partidas e marcou cinco gols, tornando-se o artilheiro da equipe. Ótimo no jogo aéreo, Sérgio Júnior era experiente: já tinha atuado anteriormente no futebol português, peruano, árabe, sul-coreano e chinês. Continuou no clube para a temporada de 2013, sempre balançando as redes. Do Bangu foi jogar no Macaé.


SÉRGIO RAFAEL
Nome: Sérgio Raphael dos Anjos Raphael
Período: 2014 a 2017
Posição: Zagueiro
Jogos: 26 (12 v, 5 e, 9 d)
Gols: 2
Zagueiro de muita força física, Sérgio Rafael jogou muitos anos no Duque de Caxias antes de se transferir para o Bangu em 2014. Agradou ao técnico Mário Marques e permaneceu no elenco para 2015, ocasião em que fez um ótimo Campeonato Carioca.


SERRANO
Nome: Oswaldo Antônio Serrano Júnior
Período: 1989 a 1990
Posição: Centroavante
Jogos: 29 (13 v, 5 e, 11 d)
Gols: 6
O Bangu apostou muito em Serrano. Pelo seu passe, o clube deu ao América de São José do Rio Preto o goleiro Barbiroto e o centroavante Robinho. Mas, em campo, o atacante não conseguiu fazer os gols que dele se esperava. Como consequência, foi titular apenas em 1989, ficando na reserva em 1990. Depois, foi jogar na Ponte Preta. Atuou também no Comercial (SP), Olímpia (SP), Operário (PR) e Remo. Encerrou a carreira precocemente, em 1993, com 29 anos, por causa de uma pancada no joelho direito. Tornou-se, então, advogado.



SIDCLEI
Nome: Sidclei Andrade da Silva
Nascimento: 20/7/1949      
Período: 1967 a 1973
Posição: Zagueiro
Jogos: 136 (44 v, 33 e, 59 d)
Aproveitamento: 44%
Gols: -
Expulsões: 1
Estreia: Bangu 0 x 0 Madureira (9/7/1967)
Despedida: Bangu 0 x 4 Marília (19/8/1973)

Revelado pelo próprio clube, o zagueiro Sidclei teve a sua primeira chance de aparecer durante o Torneio Início de 1967, quando ainda era um jovem de 18 anos.
No entanto, só a partir de 1969 passou a figurar entre os profissionais, formando dupla de zaga com o conhecido Luís Alberto.
No ano seguinte, o técnico Flávio Costa experimentou Sidclei como volante. No entanto, logo o jogador já estava de volta à defesa, fazendo parceria com Serjão.
Em 1971, em um jogo no Maracanã, contra o Vasco, o técnico Paulinho de Almeida já tinha feito as duas substituições, quando Sidclei se contundiu. O Bangu vencia por 2 a 1 e o zagueiro foi remanejado para a ponta. Mesmo lesionado, Sidclei foi responsável por um lance incrível. Recebeu um lançamento e, sozinho, mancando muito, foi levando a bola até a área do Vasco. Errou na hora do chute, desperdiçando a chance do terceiro gol e desabou no gramado.
Depois da disputa do Campeonato Carioca de 1972, Sidclei foi emprestado ao Náutico no segundo semestre daquele ano. Regressou a Moça Bonita no início de 1973 para reforçar a zaga. No entanto, o assédio do clube pernambucano fez com que Sidclei fosse definitivamente vendido em setembro, junto com Jorge Mendonça.
No Náutico, virou ídolo e conquistou o título de campeão pernambucano de 1974. Em 1978, deixou o alvirrubro para vestir outra camisa vermelha e branca, a do CRB, onde encerrou a carreira. Decidiu, então, não mais retornar ao Rio, estabelecendo residência em Recife, onde era bem mais conhecido.


SIDNEI
Nome: Sidnei Gouveia
Período: 1976 a 1978
Posição: Ponta-esquerda
Jogos: 23 (10 v, 5 e, 8 d)
Gols: -
O ponta Sidnei foi logo campeão do Torneio da Integração em 1976, mas depois foi perdendo prestigio e acabou no banco de reservas nas duas temporadas seguintes.


SIDNEI
Nome: Cidinei da Silva Vitalino
Período: 1992 a 1996
Posição: Lateral-direito
Jogos: 17 (6 v, 7 e, 4 d)
Gols: 2
Expulsões: 1
Revelado pelo próprio clube, Sidnei começou como atacante, atuando na posição até 1994. Depois, foi adaptado na lateral-direita, onde também passou despercebido.


SIDNEI
Nome: -
Período: 1999
Posição: Atacante
Jogos: 2 (1 e, 1 d)
Gols: -
Revelado pelo clube, o atacante Sidnei ficou na reserva durante todo o Campeonato Carioca de 1999, entrando apenas em duas oportunidades.


SIDNEY
Nome: Sidney Fraga Nery da Silva
Período: 2009 a 2012
Posição: Volante
Jogos: 18 (3 v, 4 e, 11 d)
Gols: -
Expulsões: 2
Revelado pelo próprio clube, o volante Sidney disputou poucas partidas pelo Bangu, tendo espaço maior durante duas edições da Copa Rio, em 2009 e 2011. Atuou também pela Castelo Branco e pelo Estácio de Sá.


SILVA
Nome: Antônio Sebastião da Silva Filho
Período: 1974 a 1975
Posição: Zagueiro
Jogos: 4 (1 v, 3 d)
Gols: -
Expulsões: 1
Veio do Santos, por empréstimo, para a disputa do Campeonato Carioca de 1974. Muito jovem - tinha 19 anos - Silva não conseguiu se firmar. Do Bangu, foi para o Grêmio Maringá (PR). Conseguiu obter sucesso quando a Francana (SP) vendeu seu passe para o Palmeiras.


SILVINHO
Nome: Silvio José Barcelos Pereira
Período: 1980 a 1981
Posição: Ponta-direita
Jogos: 24 (12 v, 7 e, 5 d)
Gols: 1
Formado pelo Flamengo, Silvinho atuou apenas duas temporadas em Moça Bonita, sempre sendo utilizado pelo técnico Décio Leal no 2º tempo das partidas.


SILVIO
Nome: Silvio Bruno
Período: 1941
Posição: Atacante
Jogos: 8 (1 v, 1 e, 6 d)
Gols: 1
O atacante Silvio disputou apenas o Campeonato Carioca de 1941 pelo Bangu. Depois, foi jogar no Canto do Rio.


SILVIO
Nome: Silvio Ility
Período: 1963
Posição: Goleiro
Jogos: 3 (1 v, 2 e)
Gols sofridos: 3
Reserva de Ubirajara durante o Campeonato Carioca de 1963, Silvio ficou marcado por levar dois gols de Fernando Cônsul, do América, num jogo no Maracanã.


SIMÕES
Nome: Carlos Simões
Período: 1949 a 1950
Posição: Atacante
Jogos: 41 (23 v, 6 e, 12 d)
Gols: 30
Grande atacante do Fluminense, Simões foi trazido pelo Patrono Silveirinha para fortalecer o Bangu no final dos anos 40. Foi uma aposta certeira. O artilheiro marcou muitos gols nos dois anos em que esteve em Moça Bonita. Em 1951, foi vendido para o Bonsucesso. Faleceu em 1982.


SÍNDIO
Nome: Síndio Augusto Ribeiro
Período: 1960
Posição: Meio-campo
Jogos: 2 (1 e, 1 d)
Gols: -
Atleta dos aspirantes, Síndio participou apenas de um Torneio Início, aproveitando-se da ausência dos titulares, que estavam disputando o Torneio de Nova York de 1960.


SINVAL
Nome: Sinval Ferreira da Silva
Período: 2006
Posição: Atacante
Jogos: 8 (4 v, 1 e, 3 d)
Gols: 3
Grande destaque do Botafogo dos anos 90, Sinval foi contratado pelo Bangu quando já estava em fim de carreira. Mesmo veterano, o jogador marcou seus golzinhos durante o Campeonato Carioca da 2ª Divisão de 2006.


SOBRAL
Nome: José Sobral Santiago
Período: 1932 a 1938
Posição: Ponta-direita
Jogos: 83 (34 v, 21 e, 28 d)
Gols: 41
Baixinho (1m61), mas extremamente habilidoso, Sobral foi um legítimo campeão por onde passou. Ergueu seu primeiro título carioca pelo América, em 1928. Em 1932 veio para o Bangu, onde conquistaria em 1933 o primeiro Campeonato Carioca de profissionais, atuando em seis dos 10 jogos daquela campanha. O sucesso levou Sobral ao Fluminense em 1935. Nas Laranjeiras conquistou os títulos de 1936 e 1937. Até que voltou à Rua Ferrer, em 1938. No entanto, já não tinha mais vez no time do Bangu, passando a temporada na reserva de Lula.


SOLON
Nome: Solon Pereira
Período: 1930 a 1934
Posição: Meio-campo
Jogos: 13 (7 v, 3 e, 3 d)
Gols: -
Eterno jogador dos 2os times, Solon estava sempre pronto para fazer algumas partidas entre os titulares, na ausência de algum companheiro. Depois, nos anos 40, participou ativamente da organização da equipe de veteranos do Bangu.


SOMÁLIA
Nome: Wergiton do Rosário Calmon
Período: 2008 a 2011
Posição: Atacante
Jogos: 63 (26 v, 12 e, 25 d)
Gols: 18
Magro, porém, veloz, Somália foi uma das boas revelações das categorias de base do clube. Foi campeão carioca da 2ª divisão em 2008 e continuou no clube, sempre marcando seus golzinhos, nos anos seguintes. Até que foi negociado com o Ferencvaros, da Hungria.



SONÔ
Nome: Eduardo Pereira Filho
Nascimento: ??/??/1922      Falecimento: 21/10/1951
Período: 1943 a 1948
Posição: Ponta-direita
Jogos: 118 (37 v, 20 e, 61 d)
Aproveitamento: 39%
Gols: 35
Expulsões: 2
Estreia: Bangu 1 x 3 Botafogo (30/5/1943)
Despedida: Bangu 2 x 1 Madureira (31/10/1948)

Elogios atrás de elogios recebeu o jovem Sonô em sua primeira temporada como profissional, em 1943:
“A despeito de parecer mais jovem, está precisamente com 21 anos. Foi do juvenil em 1941 e 1942, passando para as fileiras profissionais no fim dessa temporada. Foi o artilheiro do juvenil e já impressionava pela rapidez e malícia. Tem tido performances magníficas e ao nosso ver, é o elemento mais desconcertante da ofensiva alvirrubra” – destacou a revista O Globo Sportivo.
Era assim Sonô, o ponta-direita que fazia qualquer banguense esquecer que, nos anos 30, havia um Sobral habilidosíssimo em suas fileiras também.
Os anos 40 foram anos difíceis para o clube, com o dinheiro da Fábrica indo para a construção do estádio proletário e do parque aquático e sobrando pouco para o futebol profissional. Mesmo assim, Sonô conseguia se destacar e era um dos pontos fortes da equipe, junto com Moacir Bueno e Menezes.
Na famosa vitória sobre o Fluminense, na Rua Ferrer, por 5 a 3, em 1943, Sonô fez dois gols.
Exibições primorosas marcaram seu currículo. O Corinthians se interessou pelo seu passe, mas o Bangu pediu alto demais, desapontando seu “padrinho” Domingos da Guia, que queria levá-lo para o Parque São Jorge. Sonô, então, permaneceu no Bangu como titular da ponta-direita até 1947. Neste ano, ainda era bom o suficiente para anotar três gols diante do Bonsucesso, na goleada por 7 a 1.
No entanto, as farras e as bebedeiras foram minando o futebol de Sonô e o Bangu decidiu contratar um outro ponta-direita em 1948: Amaral, vindo do Siderúrgica (MG). Sonô virou reserva e fez sua última temporada pelo clube, atuando em apenas cinco jogos.
Quis o destino que ele não tivesse mais oportunidades no futebol. Faleceria logo em outubro de 1951, sem o mínimo destaque dos jornais e revistas que um dia o enalteceram. Só foi lembrado em uma sessão do Conselho Deliberativo do Bangu que lançou um voto de pesar em ata pela sua morte prematura. Tinha apenas 29 anos.


SORATO
Nome: Aguinaldo Luiz Sorato
Período: 1996
Posição: Atacante
Jogos: 29 (6 v, 11 e, 12 d)
Gols: 12
Um dos jogadores mais “rodados” do futebol brasileiro, Sorato começou a carreira no Vasco e até encerrá-la no Tigres (RJ), vestiu 22 camisas diferentes. Uma delas a do Bangu, em 1996, trazido pelo empresário Pedrinho Vicençote, que pretendia reabilitá-lo depois de uma má passagem pelo Santa Cruz, no ano anterior. Aos 27 anos, em plena forma, foi o maior destaque do time e entrou para a história do clube ao marcar três gols diante do Fluminense, em pleno estádio das Laranjeiras, na vitória banguense por 3 a 0. Curiosamente, depois dessa grande atuação, seu rendimento decaiu bastante. Como verdadeiro andarilho, ao término do Campeonato Carioca foi jogar no Botafogo.


SOUZA
Nome: Moacir Santos Souza
Período: 1943 a 1944
Posição: Meio-campo
Jogos: 59 (17 v, 12 e, 30 d)
Gols: -
Revelação dos juvenis, Souza atuava como médio-esquerdo. Fez boa temporada no seu primeiro ano como profissional, em 1943. No entanto, deixou o clube em 1945 para ir jogar no São Cristóvão, quando tinha apenas 21 anos.


SOUZA
Nome: -
Período: 1975
Posição: Atacante
Jogos: 1 (1 d)
Gols: -
O atacante Souza entrou no lugar de William durante uma partida contra o Vasco, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca de 1975. Nunca mais teve outra chance.


STEVE
Nome: Steve Wonder Amaro Emiliano
Período: 2014
Posição: Meio-campo
Jogos: 2 (1 v, 1 e)
Gols: -
Filho do genial ponta-direita Marinho, craque do Bangu nos anos 80, Steve tentou seguir a mesma carreira do pai. Teve suas primeiras chances no Ceres e no Quissamã até chegar ao clube alvirrubro, em 2014, durante a desprestigiada Copa Rio. Atuou apenas duas vezes.



STERLING
Nome: James Sterling
Período: 1913 a 1917
Posição: Meio-campo
Jogos: 84 (39 v, 11 e, 34 d)
Gols: 1
Expulsões: 1
Nascido em Prestwich, em 1892, James Sterling era filho do mestre têxtil britânico, Thomas Sterling – um dos primeiros a chegar ao bairro para trabalhar na fábrica. Loiro e alto, formava com Archibald French, Patrick Donohoe e Edgar Calvert, o quarteto de ingleses que atuavam no Bangu nos anos 10. Habilidoso meio-campo, Stirling estreou em 1913 e foi titular absoluto até 1917, quando quebrou a perna num jogo amistoso contra a Esportiva de Guaratinguetá e não atuou mais naquele ano. Em 1918, foi defender as cores do Modesto (RJ) e, em 1919, já estava atuando no Botafogo. Em 1920, foi para o Palmeiras (RJ), tornando-se um verdadeiro andarilho do futebol. Curiosamente, Stirling não morava em Bangu, nem trabalhava na fábrica. Residia no Centro do Rio, na rua Santa Luzia e trabalhava para a firma inglesa City Improvement & Co. Limited. Faleceu em 1962, aos 70 anos.



SULA
Nome: Gederval Bastos
Nascimento: 25/3/1925     Falecimento: ??/??/????      
Período: 1947 a 1951
Posição: Zagueiro
Jogos: 124 (61 v, 22 e, 41 d)
Aproveitamento: 58%
Gols: 8
Expulsões: 1
Estreia: Bangu 5 x 8 Flamengo (22/6/1947)
Despedida: Bangu 1 x 2 Flamengo (29/7/1951)

Vindo de Campos dos Goytacazes, Sula chegou ao Bangu em meados de 1947 para tentar dar algum equilíbrio à defensiva banguense, que tinha se comportado pessimamente durante o Torneio Municipal.
Atuando na linha média – na função que hoje denominaríamos de volante -, Sula não conseguiu evitar que o time do técnico José Ferreira Lemos colecionasse derrotas naquele ano, mas conseguiu manter-se no elenco após a renovação feita em 1948, quando o Bangu contratou vários atletas vindos de Minas Gerais.
Relegado à reserva com o técnico Ayrton Moreira, fez valer sua classe e, em 1949 mudou de posição para ser aproveitado: foi formar dupla de zaga com o argentino Rafanelli.
Continuou em alta em 1950, marcando o seu gol mais importante com a camisa alvirrubra durante uma partida internacional, em Santiago, contra o Colo-Colo, do Chile, que garantiu a vitória do Bangu por 2 a 1.
Cobrador oficial de pênaltis num elenco milionário, que contava até mesmo com Zizinho, foi dessa forma que Sula aproveitou para balançar também as redes de Flamengo e Fluminense no Campeonato Carioca daquele ano.
No entanto, 1951 viu as últimas partidas de Sula pelo Bangu. O zagueiro foi preterido na hora da viagem para a Europa e ficou no Rio disputando as desprestigiadas partidas do Torneio Municipal. Após o vice-campeonato obtido no Torneio Início, Sula foi vendido para o Corinthians, onde ficaria até 1953.
No Parque São Jorge, não conseguiu ir além da reserva, deixando o clube para jogar no Nacional (SP) em 1954. Atuou ainda pelo Botafogo de Ribeirão Preto, em 1956 e pela Portuguesa Santista, no ano seguinte.


SYLVIO
Nome: Sylvio Carrilho
Período: 1920 a 1922
Posição: Atacante
Jogos: 4 (1 v, 2 e, 1 d)
Gols: -
Irmão mais velho de Anchyses Carrilho, Sylvio era comerciante e morava na Rua Silva Cardoso, em Bangu. Figura constante no 2º time banguense, Sylvio só teve quatro chances de aparecer entre os titulares, a última delas durante o Campeonato Carioca de 1922. Não marcou gols. Depois, foi jogar no Sport Club Batutas de São Cristóvão.


SYLVIO
Nome: Sylvio Sgarbi Aldigheire
Período: 1925 a 1926
Posição: Ponta-esquerda
Jogos: 2 (1 v, 1 d)
Gols: -
Filho de um imigrante italiano, Sylvio nasceu no próprio bairro de Bangu, em abril de 1906, quatro meses depois do assassinato de seu pai por um tresloucado. No futebol, teve apenas duas chances de atuar entre os titulares, ficando a maior parte do tempo relegado ao 2º time. Vendo que não teria outras oportunidades, virou árbitro, apitando alguns jogos do Campeonato Carioca de 1929.



SYLVIO ALDIGHEIRE
Nome: Sylvio Ercílio Aldigheire
Período: 1905
Posição: Goleiro
Jogos: 2 (2 v)
Gols sofridos: 1
O italiano Sylvio Aldigheire, aos 27 anos, foi goleiro do Bangu em duas partidas amistosas de 1905. Teve excelente desempenho, levando apenas um gol e, poderia ter sido o keeper alvirrubro em 1906. No entanto, logo no dia 4 de janeiro, levou uma facada no coração dada pelo lavrador Cândido Gomes da Silva, em frente a uma vendinha do bairro. O motivo do crime foi totalmente torpe: Cândido tinha pedido dinheiro ao contra-mestre da fábrica e o italiano se negara a ajudá-lo. Sylvio faleceu dentro do pequeno estabelecimento do Coronel Franco, deixando uma viúva grávida e dois filhos. O assassino foi capturado por populares. Dado como louco, não foi para a prisão e sim para o Hospício dos Alienados, na Praia Vermelha.

          
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83