Rio de Janeiro, sábado, 16 de dezembro de 2017 - 05h22min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos
Teixeira de Castro 30 de novembro de 1947

O Bangu fazia campanha sofrível no Campeonato de 1947. O técnico alvirrubro, José Ferreira Lemos – o “Juca da Praia” – já estava com a “corda no pescoço”. Para seu alívio, o adversário da rodada não era nenhum pesadelo: jogaria com o Bonsucesso, o “lanterninha”, no campo do adversário.

Apesar de ser o “pior dos piores”, o Bonsuça podia se orgulhar de, no 1º Turno, ter derrotado o Bangu, quando conquistou sua única vitória no Campeonato. Por isso, todo cuidado era pouco.

Pouco também foi o público pagante naquela tarde em Teixeira de Castro: apenas 635 torcedores. Quem foi, viu o Bangu abrir o placar, aos 18 minutos, após uma jogada em que o ponta-direita Sonô passou pelo meia Wilson e bateu firme para o gol.

Cinco minutos depois, Eunápio – em completo impedimento – apareceu livre frente ao goleiro Orlando para empatar o jogo. Com a pressão da torcida colada ao alambrado, o árbitro italiano Fioravanti D´Angelo confirmou o tento irregular.

O Bangu reagiu rapidamente. Aos 27, numa confusão na área do rubroanil, apareceu o pé de Moacir Bueno para colocar a bola nas redes de Max: 2 a 1.

Aos 36, Nogueira levanta a bola para a área e Moacir Bueno aparece para cabecear, ampliando o placar para 3 a 1.

Para acabar com as pretensões do Bonsuça, Moacir Bueno ainda chutou uma bola na trave. No rebote, Sonô apareceu rápido para assinalar o quarto gol. A dupla de ataque alvirrubra tinha dizimado os donos da casa em apenas 38 minutos.

Na volta do intervalo, mesmo sem precisar se esforçar, o Bangu continuou bem superior ao lanterna do Campeonato. Aos 17 minutos, Moacir Bueno aproveita passe de Menezes para alcançar o quinto gol do time e o seu terceiro na partida.

Ainda houve tempo para o sexto gol, obra do ponta-esquerda Menezes, aos 25 minutos. 

Aos 28, para fechar o placar, Sonô encheu o pé de fora da área e voltou a vencer o goleiro Max: 7 a 1 – a maior exibição que os banguenses já fizeram na casa do Bonsuça.

A goleada fez o técnico Juca escapar da “gilhotina”, mas era apenas a terceira vitória do time ao longo de 16 rodadas...

Campeonato Carioca 1947
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83