Rio de Janeiro, sábado, 16 de dezembro de 2017 - 05h17min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos
Teixeira de Castro 26 de setembro de 1962

O técnico Gradim não estava satisfeito: na 13ª rodada do Campeonato, a partida do Bangu contra o Bonsucesso seria disputada numa quarta-feira à noite no estadinho da Teixeira de Castro: “Não gostei porque a iluminação do estádio do Bonsucesso não é das melhores”, reclamou ao Jornal dos Sports.

O jogo noturno levou mais de 900 pessoas ao campo do Bonsucesso, mesmo com a “iluminação de boate”. O Bangu, na sexta posição, precisava vencer para se aproximar dos líderes Flamengo e Vasco. Até por isso, começou bem melhor, sem se importar com o Bonsucesso.

Aos 29 minutos, Antoninho finta Marcelo e Severiano, cede a bola para Luís Carlos, que a devolve. O ex-atacante do América, frente a frente com o seu xará, o goleiro Antoninho, chutou firme para colocar o Bangu em vantagem: 1 a 0.


Antoninho, emprestado pelo América, marcou dois gols naquela noite.

O Bonsucesso ainda se recuperava do baque, quando aos 33 minutos, Beto arrisca uma bomba da linha da grande área e vence pela segunda vez um atônito goleiro Antoninho, “talvez traído pela má iluminação do estádio” – como registrou o Correio da Manhã. As preocupações do técnico Gradim pareciam ter se dissipado imediatamente. O Bangu parecia rumar para uma contagem expressiva...


Beto, autor de um dos gols, e seu irmão Luís Carlos.

Porém, no 2º tempo tudo mudou. O Bangu voltou acomodado, acreditando que os dois pontos já estavam no bolso. Aos 15 minutos, Zózimo – o bicampeão do mundo – falhou feio numa bola e permitiu que Roberto, livre, diminuísse para o Bonsucesso: 2 a 1.

Aos 22 minutos, foi a vez de Ubirajara sofrer com os refletores da Teixeira de Castro. Artoff chutou, o goleiro banguense rebateu para frente e Wellis aproveitou para empatar a partida. Pânico no Bangu!

Nos minutos que faltavam, o Bonsucesso foi mais atrevido e prosseguiu num domínio impressionante em busca da vitória. Quando todos esperavam o terceiro gol rubro-anil, foi o Bangu que conseguiu surpreender e calar todo o estádio da Avenida Teixeira de Castro.

Eram decorridos 42 minutos quando o ponta-direita Correia partiu para o ataque determinado. Ele cruzou para a área. Antoninho entrou velozmente e mandou a bola para o fundo das redes do goleiro reserva Cláudio. Gol do Bangu! Gol da vitória! O time derrubava um rival dificílimo e estava vivo na briga pelo Campeonato de 1962, três pontos apenas atrás da dupla Flamengo e Vasco!

“Ninguém dá nada por ele e, devagar, sem chamar muita atenção, está chegando próximo aos grandes ponteiros. Acredito que, no final do Campeonato, o Bangu surpreenderá a muitos que nele não confiam” – prognosticou o artilheiro da noite, Antoninho.

Campeonato Carioca 1962
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83