Rio de Janeiro, sexta-feira, 24 de novembro de 2017 - 18h12min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

07/04/1985 - BANGU 3 x 1 JOINVILLE (SC)

FICHA TÉCNICA
Competição:
Taça de Ouro - Grupo D - Returno
Local:
Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho
Renda:
Cr$ 7.780.000,00
Público:
1.556pagantes
Árbitro:
Luís Carlos Antunes, auxiliado por Sebastião Soledade e Reinaldo Teixeira
Gilmar (Júlio Galvão); Márcio, Jair, Oliveira e Baby; Israel, Pingo (Lulinha) e Mário; Marinho, Fernando Macaé e Ado
Técnico: Moisés
 
Válter; Silmar, Adilson, Léo e Jacenir; Jorge Luís, Nardela e Moreno (Reginaldo); Moisés, Vágner e Carlinhos (Renato)
Bangu 1 x 0: Mário, aos 34min do 1º tempo
Bangu 2 x 0: Pingo, aos 18min do 2º tempo
Bangu 3 x 0: Fernando Macaé, aos 25min do 2º tempo
Bangu 3 x 1: Vágner, aos 38min do 2º tempo
Oliveira e Jair (Bangu); Renato e Jacenir (Joinville)

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu vence Joinville por 3 a 1 e encosta no Ponte
Fonte: Jornal O Globo

Com um excelente desempenho, especialmente no segundo tempo, o Bangu derrotou ontem o Joinville por 3 a 1, em Moça Bonita, e melhorou sua posição na luta com a Ponte Preta - que perdeu da Desportiva - para passar ao Grupo A ou B na Taça de Ouro de 86. Agora o Bangu soma 26 pontos e a Ponte Preta 27. Os dois clubes jogarão domingo, em Campinas.

O Bangu foi melhor durante toda a partida e poderia ter alcançado placar mais elevado se seus atacantes tivessem tranqüilidade nas finalizações. Fernando Macaé perdeu três oportunidades da pequena área.

O time do Joinville tentou marcar por pressão no meio-campo para explorar os contra-ataques, mas, inteligentemente, o Bangu forçou as jogadas pelas pontas e chegava com relativa facilidade à área adversária. Apesar do domínio, o Bangu só conseguiu marcar um gol no primeiro tempo, através de Mário.

No segundo tempo, o Bangu manteve o ritmo. Bem organizado na defesa e no meio-campo, e com seu ataque mais objetivo, chegou aos 3 a 0, com gols de Pingo, aos 18 minutos, e Fernando Macaé, aos 25, e depois passou a tocar a bola. Aos 38 minutos, Vágner marcou o gol do Joinville.


Castor elogia a equipe e pensa na segunda fase

O clima no vestiário do bangu era de empolgação após a vitória de ontem sobre o Joinville, havendo unanimidade quanto à grande atuação da equipe. O Presidente do Conselho Deliberativo, Castor de Andrade, era um dos amis animados:

- O time jogou muito bem e acredito que teve aquela atuação que há muito tempo estava devendo à sua torcida. Não tenho dúvidas de que, se mantiver este nível, fará uma grande campanha na segunda fase, se classificando para semifinal.

Mas a grande alegria de dirigentes e jogadores do Bangu não era tanto pela vitória contra o Joinville, mas pela derrota da Ponte Preta para a Desportiva, pela manhã, em Vitória.

_ Normalmente, o nosso time se acanha quando joga em Moça Bonita, mas desta vez desencabulou. A derrota da Ponte Preta foi ótima e nos dá uma nova motivação. Agora, esperamos vencer o Brasília quarta-feira, em nosso campo, para decidir o grupo, mais uma vez, contra a Ponte - afirmou o técnico Moisés.

O atacante Fernando macaé era um dos mais festejados no vestiário, depois de sua excelente atuação de ontem.


O Destaque: Mário, talento e perfeição

- Dei sorte e fui feliz. A bola pegou na veia. E quando pega na veia, não tem jeito.
Sempre cercado por torcedores, Mário, na saída do Estádio de Moça Bonita, explicou com humildade o gol que marcou, ontem, contra o Joinvile. No lance, ele dominou a bola, colocou-a à feição para o arremate com o pé esquerdo e, de fora da área, quase na intermediária, chutou forte para marcar o primeiro gol. Um gol que, na opinião do técnico Moisés, foi muito importante no aspecto psicológico:

- Com aquela vantagem inicial no placar, os jogadores tiveram a tranqüilidade necessária para tocar a bola e partir para cima do Joinville sem afobação. Com 1 a 0, os outros gols foram saindo naturalmente.

Mas, ontem, Mário não fez só o gol. Com seu talento de craque, soube prender a bola nos momento mais necessários e organizou as jogadas de meio de campo e ataque. Além do excelente domínio de bola, errou, durante o jogo, apenas um passe e fez lançamentos precisos. Por duas vezes, aliás, deixou o ponta-esquerda Ado em excelente posição para o arremate e ainda foi quem deu o passe para Fernando Macaé marcar o terceiro gol do Bangu.

Por tudo isso, Mário, cumprimentado por torcedores e sócios do Bangu, mostrava-se muito contente, e, quando deixava o estádio, disse que está atravessando excelente fase física:

- Estava devendo uma boa atuação, aqui, em Moça Bonita. Sei que fiz boas partidas fora de casa, mas, no nosso campo, acho que me sai bem e isso é importante porque a nossa torcida estava vendo o jogo.

Na opinião de Mário, agora o Bangu tem condições de brigar com a Ponte Preta e conseguir a classificação para os grupos A e B da Taça de Ouro do próximo ano:

- E não está muito difícil conseguir essa promoção. Estamos a um ponto, apenas, da Ponte Preta - concluiu.


Atuações: No Bangu, um bom entrosamento

Jogando com seriedade, atenta na marcação e cobertura, a defesa do bangu não cometeu falhas

GILMAR - Tranqüilo e eficiente na reposição da bola em jogo (nota 8)
JÚLIO GALVÃO - Entrou no final (sem nota)
MÁRCIO - Bom na marcação e apoio (nota 8)
JAIR - Firme na marcação e cobertura (nota 8)
OLIVEIRA - Marcou Vágner com vantagem (nota 8)
BABY - Bem na marcação e apoio (nota 8)
ISRAEL - Jogou recuado e foi pouco ao ataque (nota 7)
PINGO - Bom com a bola nos pés, fraco na marcação (nota7,5)
LULINHA - Substituiu Pingo no final (sem nota)
MÁRIO - Foi o destaque do jogo, combatendo e organizando as jogadas ofensivas (nota 10)
MARINHO - Fez boas jogadas pela ponta, mas se perdeu quando caiu pelo meio (nota 7,5)
FERNANDO MACAÉ - Esteve presente em todas as jogadas ofensivas do time, lutou e se deslocou com inteligência (nota 8)
ADO - Fez boas jogadas, mas precipitou-se nos centros e finalizações (nota 7,5)


Os Gols:

Bangu 1 a 0 - Mário recebe lançamento de Marinho na intermediária do Joinville, livre de marcação, avança até a entrada da área e chuta violento, no ângulo direito do goleiro Válter, que não tem como evitar o gol. Aos 36 minutos do primeiro tempo.

Bangu 2 a 0 - Pingo recebe lançamento de Fernando Macaé, entre os zagueiros, penetra até a área e, na saída do goleiro, toca no canto, sem defesa. Aos 18 minutos do segundo tempo.

Bangu 3 a 0 - Fernando Macaé recebe passe de Mário na intermediária, passa pelo zagueiro Adilson, avança até a pequena área e, na saída do goleiro, toca rasteiro no canto. Aos 25 minutos de segundo tempo.

Joinville 1 a 3 - Reginaldo avança pela direita e, da lateral da área, chuta forte, pelo alto. A bola bate na trave e Vágner, em cima da linha, toca para a rede. Aos 38 minutos do segundo tempo.

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83