Rio de Janeiro, sexta-feira, 24 de novembro de 2017 - 18h06min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos


SENDAS 1 X 2 BANGU
(PÊNALTIS: SENDAS 4 x 3 BANGU)

FICHA TÉCNICA
Competição:
Copa Rio (4ª fase - FINAL)
Local:
Arthur Sendas, em São João de Meriti
Data-Hora:
Sábado, 20/11/2010 - 16h (horário brasileiro de verão)
Renda:
R$ 4.750,00
Público:
650 pagantes (750 presentes)
Árbitro:
William Marcello de Souza Nery (RJ)
Auxiliares:
Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ) e Cláudio José de Oliveira Soares (RJ)
Felipe; Adriano, Rafael Donato, Domingos Jr e Paulo Vitor; Fabrício, Léo Sousa, Silvano e Léo Inácio (Leandrão); Serginho (Wallace) e Jefferson (Castro).
Técnico: Silvio Marques.
Espíndula; Abílio, Raphael (Fabiano Silva) e Caboclo (Thiago Galhardo); China, Marcão, André Barreto, Tiano e Fabiano Silva; Pipico e Marco Antônio (Alex Alves).
Técnico: Mazolinha.
Serginho e Leo Souza (Sendas); André Barreto, Espíndula e Tiano (Bangu)
-
Bangu 1 x 0: Raphael, aos 7min do 1º tempo
Bangu 1 x 1: Castro, aos 31min do 2º tempo
Bangu 2 x 1: Thiago Galhardo, aos 44min do 2º tempo
Pênaltis:

Bangu 0 x 1 Sendas (Leandrão)
     Bangu (Tiano) 0 x 1 Sendas
     Bangu 0 x 1 Sendas (Paulo Vitor)
Bangu (China) 1 x 1 Sendas
     Bangu 1 x 1 Sendas (Silvano)
Bangu (Alex Alves) 2 x 1 Sendas
Bangu 2 x 2 Sendas (Castro)
     Bangu (Thiago Galhardo) 2 x 2 Sendas
Bangu 2 x 3 Sendas (Fabrício)
Bangu (Pipico) 3 x 3 Sendas
----------------------------------------------
Bangu 3 x 4 Sendas (Domingos Jr)

     Bangu (Fabiano Lopes) 3 x 4 Sendas

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu ganha, mas Sendas leva título nos pênaltis
Fonte: Paulo Roberto Rodrigues (Papo Esportivo)

Numa final emocionante o Sendas conquistou a Copa Rio de Profissionais 2010 ao derrotar o Bangu por 4 a 3, nas cobranças de penalidades máximas, na tarde deste sábado (20), na segunda e decisiva partida. O jogo foi realizado no estádio Arthur Sendas, em São João de Meriti. O Bangu ganhou no tempo normal por 2 a 1, o que levou a disputa do título para os pênaltis, pois no jogo de ida o time laranja meritiense venceu por 1 a 0, em Moça Bonita. Os gols da partida foram marcados no segundo tempo. Raphael abriu o marcador para o Bangu. Castro empatou e Thiago Galhardo fez o segundo gol banguense.


O jogo

Em desvantagem na decisão o Bangu foi quem teve a iniciativa de atacar o Sendas, que por sua vez se fechou na defesa e só saia nos contra-ataques. Mesmo com mais posse de bola o time banguense não conseguia furar o bloqueio defensivo do time meritiense. A primeira chance real de gol surgiu aos 16 minutos, quando Pipico ganhou do lateral Adriano, foi a linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola cruzou toda extensão da grande área, sem ninguém aproveitar o lance. O Sendas respondeu três minutos depois com Serginho. Ele recebeu na entrada da área e bateu cruzado. A bola desviou em André Barreto e quase enganou o goleiro Espíndula. O Bangu dominava as ações, mas não chutava para o gol. O time laranja da Baixada ainda chegou com perigo num contra-ataque aos 43 minutos, quando Serginho tocou para Léo Inácio. O camisa 10 bateu fraco nas mãos do arqueiro banguense.

Com Thiago Galhardo no lugar de Caboclo, o Bangu voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva e não demorou a abrir o marcador. Aos sete minutos, escanteio cobrado da direita, Pipico disputou no alto com Felipe e a bola sobrou limpa para Raphael mandar para o fundo da rede. Mesmo atrás no placar o Sendas não saia para o ataque e o time banguense diminuiu o ritmo. Só aos 30 minutos é que foi acontecer um lance de perigo. O zagueiro Raphael saiu jogando errado; Leandrão roubou a bola e quando invadiu a área foi derrubado por Espíndula. O mesmo Leandrão cobrou e o arqueiro banguense defendeu. Na sequência, após cobrança de escanteio, Castro subiu mais que a zaga alvirrubra, testou e marcou. Na base do desespero o Bangu partiu com tudo para o ataque e num bonito lance chegou ao gol da vitória aos 45 minutos. Alex Alves recebeu na entrada da área e apenas rolou para Thiago Galhardo, que soltou a bomba e colocou no ângulo.

Com a vitória banguense no tempo normal por um gol de diferença, a disputa do título foi nas penalidades máximas. Aí prevaleceu a categoria do goleiro Felipe. Ele defendeu as cobranças de Tiano, Thiago Galhardo e Fabiano Lopes e deu o título ao Sendas, pelo placar de 4 a 3. Para o time meritiense converteram Leandrão, Castro, Fabrício e Domingos Junior. Desperdiçaram: Paulo Victor e Silvano. Para o Bangu, China, Alex Alves e Pipico marcaram.

O presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) Rubens Lopes premiou os campeões.

. . . . . . . . . . . . . . .

A-Z-A-R
Fonte: Carlos Molinari

O que representa o vice-campeonato

Não há explicações plausíveis para o que ocorreu neste sábado em São João de Meriti. Não há outra definição além do azar que persegue o clube desde priscas eras. O Bangu precisava vencer o Sendas depois de entregar o jogo em casa. O time fez o impossível.

Rafael Canibal - que todo mundo sabe a forma temerária como joga - fez 1 a 0 no início do segundo tempo. Depois, ele mesmo perdeu uma bola infantil na defesa e obrigou o Espíndola a fazer um pênalti. O goleiro ainda defendeu a cobrança, mas no escanteio, não houve jeito, eles empataram.

Por fim, aos 44 minutos do segundo tempo, Thiago Galhardo fez o que ninguém esperava: fez o gol da vitória do Bangu.

O placar de 2 a 1 arrancado nos instantes finais era a prova de que o time estava com sorte, que estava com o título bem próximo. Aproveitaria, é claro, o abalo que o Sendas acabara de sofrer. Seria, enfim, campeão.

A cobrança de pênaltis nada teve de semelhante à luxuosa decisão de 1985. Muito pelo contrário, os banguenses demonstraram uma fraqueza absoluta, um despreparo emocional que não poderiam mostrar. Vejam bem, meus amigos, jogadores experientes como Marcão e Abílio não pegaram a bola para bater, se ocultaram. E aí, foi o que se viu. Tive o desprazer de escutar os pênaltis pelo telefone. Eu, aqui em Brasília, o Vitor Moniz, lá no estádio, narrando o que ocorreu. Em suma foi assim:

Leandrão (Sendas) fez 1 a 0.
Tiano (Bangu) perdeu sua cobrança. Tiano, é bom que se diga, já tinha cobrado 7 pênaltis em tempo normal pelo clube. Convertido todos, até aquele que o goleiro Cléber pegou e ele fez no rebote. Hoje, quando não podia falhar, falhou.

Paulo Vitor (Sendas), perdeu
China (Bangu), empatou 1 a 1

Silvano (Sendas), perdeu
Alex Alves (Bangu), desempatou 2 a 1. Pronto, a vantagem estava conosco, era a hora de aproveitar.

Castro (Sendas), empatou 2 a 2
Thiago Galhardo (Bangu), perdeu. Justo o autor do gol no último minuto, falhou na hora de encher o pé - como tinha feito anteriormente.

Fabrício (Sendas) fez 3 a 2
Pipico (Bangu) empatou 3 a 3

Domingos Júnior (Sendas) fez 4 a 3
Fabiano Lopes (Bangu) perdeu. Fabiano Lopes, o "Baixinho", até agora não mostrou a que veio entre os profissionais. Cria do Juniores, não era o jogador apropriado para tamanha responsabilidade.

Enfim, a realidade é esta: o Bangu Atlético Clube tem trauma de pênaltis. Agora, como o Sendas escolheu disputar o Campeonato Brasileiro da Quarta Divisão em 2011, o Bangu ficou com a Copa do Brasil - competição difícil, em que, se mantivermos o elenco atual - sem um centroavante que faça a diferença, com falhas na zaga, em uma das laterais, dificilmente passaremos de fase.

O Bangu perdeu, neste dia 20 de novembro, uma chance de ouro de erguer outra taça. Na verdade, o Bangu perdeu a Copa Rio no resultado desastroso de Moça Bonita, quando "Papai do Céu" abandonou o nosso querido Mazolinha aos azares do Bangu.

Que tristeza! Que tristeza!

. . . . . . . . . . . . . . .

Videos do jogo
 
 
 

Fotos do jogo
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Vitor Costa
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
 
Foto: Úrsula Nery/ Agência FERJ
 
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83