Rio de Janeiro, sexta-feira, 17 de novembro de 2017 - 15h30min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
ALFREDO SAMPAIO, ex-treinador do Bangu
04/08/08
 

Um treinador polêmico, mas eficiente

Todo banguense tem uma opinião acerca de Alfredo Sampaio. Muitos não gostavam dos métodos do ex-treinador, outros idolatram o profissional, que deu grandes momentos ao clube. O fato é que este carioca de 50 anos, e que recentemente ainda dirigia o Vasco, é o terceiro técnico que mais vezes comandou o Bangu. Em 155 oportunidades, com 57 vitórias, 54 empates e 44 derrotas, Alfredo perde apenas para Moisés e Tim - ícones sagrados de Moça Bonita.

Chegou ao clube em novembro de 1997 e permaneceu no comando, com algumas contestações, até dezembro de 2000. No Campeonato Carioca de 1998, destacam-se as vitórias por 2 x 1 sobre Flamengo, Fluminense e Botafogo. Na Copa João Havelange de 2000, o time fez boa campanha, chegando em oitavo lugar e ele abre uma explicação pelo fiasco diante do Paraná, em Moça Bonita, que determinou a eliminação do time:

"Só não fomos às semifinais devido a incompetência, exatamente no dia jogo com o Paraná, de parte da empresa que patrocinava o Bangu [no caso a Gortin, de Reinaldo Pitta e Alexandre Martins]. Foi um circo no vestiário e na concentração, fatos que acabaram sendo decisivos na hora do jogo."

Alfredo retornou para subir o time na Segundona de 2005, acabou sendo vice para o Nova Iguaçu, mas a passagem também traz uma boa história:

"Houve um jogo com o São Cristovão em 2005, na segunda divisão, que me marcou. Nós precisávamos vencer para classificar e obter um ponto extra na etapa final da competição, sobrepujando o Boavista. O fato é que jogamos ouvindo o outro jogo. Eles faziam um gol lá e nós outro aqui. Foi assim até o final, quando que, para obter o ponto extra, tínhamos que fazer mais um gol. No último minuto do jogo, nosso atacante entrou pela esquerda e fez um lindo gol, nos levando à vitória por 5x0. O que marcou foi aquela coisa de fazer um, eles outro, nós mais um e assim até o final".

O treinador diz ter uma boa relação até hoje com Rubens Lopes, com Carlinhos Maracanã e até mesmo com o folclórico Zé Urso - atualmente no Ceres. Em relação ao clube, Alfredo diz que o período de 1998 a 2000 foi bem marcante: "foi quando eu pude mostrar meu trabalho. O Bangu é um clube com peso e com camisa. Ter estado lá todo aquele tempo, me deu visibilidade no cenário carioca. Sou grato ao Bangu porque foi o clube que me projetou aqui no Rio. Sou grato também ao Bris Belga, na época supervisor, que me levou para lá".

Sobre o momento atual do clube, Alfredo também não consegue entender como o Bangu foi decair tanto. "Vejo com tristeza. Acho que o lugar do Bangu é na primeira divisão. Infelizmente as coisa não andaram de forma profissional e consciente, pois o clube não poderia ter chegado aonde se encontra. Torço para que esse ano ele se classifique e volte a elite do futebol carioca".

Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube.
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83