Rio de Janeiro, sábado, 22 de julho de 2017 - 03h48min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
ALFREDO SAMPAIO, ex-treinador do Bangu
04/08/08
 

Um treinador polêmico, mas eficiente

Todo banguense tem uma opinião acerca de Alfredo Sampaio. Muitos não gostavam dos métodos do ex-treinador, outros idolatram o profissional, que deu grandes momentos ao clube. O fato é que este carioca de 50 anos, e que recentemente ainda dirigia o Vasco, é o terceiro técnico que mais vezes comandou o Bangu. Em 155 oportunidades, com 57 vitórias, 54 empates e 44 derrotas, Alfredo perde apenas para Moisés e Tim - ícones sagrados de Moça Bonita.

Chegou ao clube em novembro de 1997 e permaneceu no comando, com algumas contestações, até dezembro de 2000. No Campeonato Carioca de 1998, destacam-se as vitórias por 2 x 1 sobre Flamengo, Fluminense e Botafogo. Na Copa João Havelange de 2000, o time fez boa campanha, chegando em oitavo lugar e ele abre uma explicação pelo fiasco diante do Paraná, em Moça Bonita, que determinou a eliminação do time:

"Só não fomos às semifinais devido a incompetência, exatamente no dia jogo com o Paraná, de parte da empresa que patrocinava o Bangu [no caso a Gortin, de Reinaldo Pitta e Alexandre Martins]. Foi um circo no vestiário e na concentração, fatos que acabaram sendo decisivos na hora do jogo."

Alfredo retornou para subir o time na Segundona de 2005, acabou sendo vice para o Nova Iguaçu, mas a passagem também traz uma boa história:

"Houve um jogo com o São Cristovão em 2005, na segunda divisão, que me marcou. Nós precisávamos vencer para classificar e obter um ponto extra na etapa final da competição, sobrepujando o Boavista. O fato é que jogamos ouvindo o outro jogo. Eles faziam um gol lá e nós outro aqui. Foi assim até o final, quando que, para obter o ponto extra, tínhamos que fazer mais um gol. No último minuto do jogo, nosso atacante entrou pela esquerda e fez um lindo gol, nos levando à vitória por 5x0. O que marcou foi aquela coisa de fazer um, eles outro, nós mais um e assim até o final".

O treinador diz ter uma boa relação até hoje com Rubens Lopes, com Carlinhos Maracanã e até mesmo com o folclórico Zé Urso - atualmente no Ceres. Em relação ao clube, Alfredo diz que o período de 1998 a 2000 foi bem marcante: "foi quando eu pude mostrar meu trabalho. O Bangu é um clube com peso e com camisa. Ter estado lá todo aquele tempo, me deu visibilidade no cenário carioca. Sou grato ao Bangu porque foi o clube que me projetou aqui no Rio. Sou grato também ao Bris Belga, na época supervisor, que me levou para lá".

Sobre o momento atual do clube, Alfredo também não consegue entender como o Bangu foi decair tanto. "Vejo com tristeza. Acho que o lugar do Bangu é na primeira divisão. Infelizmente as coisa não andaram de forma profissional e consciente, pois o clube não poderia ter chegado aonde se encontra. Torço para que esse ano ele se classifique e volte a elite do futebol carioca".

Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube.
     
Livros
 
Estatísticas 2017
 
Jogos 20
Vitórias 5
Empates 6
Derrotas 9
Gols Pró 19
Gols Contra 32
Saldo de Gols -13
Aproveitamento 35%
Artilheiros 2017
 
Loco Abreu 3
Raphael Augusto 3
Rogerinho 2
Bruno Luiz 2
Leandro Chaves 1
João Guilherme 1
Guilherme 1
Carlinhos 1
Anderson Penna 1
Hygor Guimarães 1
Daniel Bueno 1
Marlon 1
Mauro Silva 1