Rio de Janeiro, terça-feira, 26 de setembro de 2017 - 04h31min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
LUIZ ALBERTO, ex-goleiro do Bangu
01/12/08
 

Tive o prazer de conversar com Luiz Alberto da Silva, hoje com 55 anos. Ele foi o dono da camisa 1 nos anos 70. Com certeza, ele é o ex-jogador que está mais longe: é treinador de goleiros do Kashima Antlers, do Japão, desde 2007.

Luiz Alberto chegou ao clube em 1972, graças a um amigo que o indicou ao eterno assistente técnico Neco. Foi estrear entre os profissionais no ano seguinte, substituíndo o titular Sanches, num jogo contra o Botafogo, em São Januário. Participou de 203 partidas (58v, 62e, 83d), entre 1973 e 1979, num dos períodos mais difíceis da história do clube. Na década de 70, é bom explicar, o Bangu era um clube à margem do futebol carioca, apequenado e que tinha no seu goleiro o atleta mais conhecido do elenco.

Entretanto, ele faz questão de ressaltar que em seu tempo, o alvirrubro contava com um plantel de "grandes amigos", como Hamílton, Serjão, Sidclei, Nena, Sérgio Cosme, Jair Pereira, Ademir, Ernesto, Luís Alberto Severino...

Saiu em 1979 para jogar no Grêmio Maringá, depois foi para o Campo Grande, o América/SP (onde atuou junto com Marinho) e encerrou sua carreira no Flamengo.

Aliás, foi o Flamengo que lhe proporcionou o pior jogo de sua carreira. Em 1973, o rubro-negro esmagou o Bangu por 8 x 0 e Luiz Alberto foi substituído por Sanches durante a partida. Conta a lenda que o técnico Vavá entrou em campo para tirá-lo da meta. A verdade, no entanto, é que ele não sofreu os oito gols sozinho.

"Eu iniciei a partida e sofri dois gols de contra-ataque - um de Geraldo e outro do Dario - e mais um terceiro de pênalti, cobrado pelo Paulo César Caju. Após a cobrança do pênalti, o Vavá me substituiu, colocando o Sanches no meu lugar, e ele acabou sofrendo mais cinco gols".

A goleada abateu Luiz Alberto, mas foi bem pior para o técnico Vavá, que perdeu o cargo para Zózimo. Na semana seguinte, o Bangu enfrentou o América, empatou em 0 x 0 e o goleirão foi a melhor figura em campo.

Seu melhor jogo, no entanto, foi contra o Vasco, em 1977, uma partida que terminou 0 x 0 e que, infelizmente, a Federação fez o favor de remarcar.
"Realizei grandes partidas defendendo as cores do Bangu. Este jogo contra o Vasco terminou 0 x 0 e trabalhei intensamente durante os 90 minutos, saindo exausto de campo".

Lá do Japão, Luiz Alberto fica por dentro das notícias do clube através do Bangu.net e tem um sonho ambicioso para o alvirrubro:

"Gostaria de poder ver o Bangu na primeira divisão do Brasileiro. Tenho certeza de que com um bom planejamento, patrocinadores e uma boa administração, o clube conseguirá voltar à elite do futebol brasileiro".

Desejo de quem defendeu o Bangu na 1ª Divisão do Campeonato Brasileiro em 1978.

Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube.
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.133
Vitórias 1.728
Empates 979
Derrotas 1.426
Gols Pró 7.305
Gols Contra 6.332
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 231
Moacir Bueno 203
Nívio 152
Menezes 137
Zizinho 125
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 98
Arturzinho 93
Marinho 83