Rio de Janeiro, terça-feira, 26 de setembro de 2017 - 04h14min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
BABY, ex-jogador do Bangu
30/11/09
 

Encontrei o Baby totalmente grisalho no último domingo, em Moça Bonita, acompanhando a decisao da última vaga da Série-C, do Rio, entre Castelo Branco e Rio das Ostras (cidade em que ele vive há sete anos).

Valcinei Coelho Leite, nascido em 28 de julho de 1965, na Rua "O", no bairro vizinho de Padre Miguel, fez 64 jogos pelo Bangu (31 vitórias, 25 empates e 8 derrotas).

Chegou ao Bangu em 1981 para testes na Vila Hípica. Paulo Lumumba foi o primeiro técnico, mas também teve Ananias, Rogerio Melo (futsal), Moisés, Zagalo e Carpegianni.

Jogo marcante foi quando vestiu a camisa profissional pela primeira vez contra o Brasil de Pelotas, na primeira fase do Brasileiro de 1985. "Fui chamado às pressas para a partida pois o titular contundiu-se e o falecido Neco me levou até o Rio Grande do Sul", mas a vitoria contra o Inter no Beira-Rio é inesquecivel, sem falar da final contra o Coritiba, dos anos sem perder para o Vasco...

Saiu para o Vasco em 1988 mas não teve chances: "impossível porque o Mazinho estava no auge da carreira". Jogou ainda no Campo Grande, Madureira, sempre na primeira divisão, e encerrou a carreira em 1992 no Barreira (hoje Boavista), num time que tinha Andrade, Adilio e outros jogadores rodados.

Dos tempos de Bangu tem inúmeros amigos e mantém contato com quase todos. Só com Gilmar e Oliveira, que moram fora do Rio, é que nao tem.

Tentou a carreira de técnico no extinto Internacional de Curicica, que disputava a segunda divisão nos anos 90. Hoje é funcionário da Secretaria de Esportes de Rio das Ostras (dá aula de futebol para a prefeitura) e tem uma locadora de filmes na cidade.

Sente muita saudade daqueles tempos, em que o Bangu era uma família, o estádio ficava cheio nas sociais para os treinos. Ao olhar para o campo lembra-se com carinho do Buga, administrador do estádio, e que deixava o gramado impecável.

"Apesar das dificuldades, quero ver o Bangu, em breve, derrotando os grandes, chegando perto do que foi no meu tempo, em estrutura, formando jogadores".

Fabio Menezes
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.133
Vitórias 1.728
Empates 979
Derrotas 1.426
Gols Pró 7.305
Gols Contra 6.332
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 231
Moacir Bueno 203
Nívio 152
Menezes 137
Zizinho 125
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 98
Arturzinho 93
Marinho 83