Rio de Janeiro, terça-feira, 26 de setembro de 2017 - 04h30min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
ANDRÉ, ex-goleiro do Bangu
21/12/09
 

André Luís de Carvalho, goleiro do Bangu em 1996

Conversei esses dias com um personagem da história alvirrubra pouco lembrado. Trata-se do goleiro André, que defendeu o clube durante todo o ano de 1996, totalizando 28 jogos (5 vitórias, 11 empates e 12 derrotas) e sofrendo 41 gols.

Hoje, André Luís de Carvalho, 38 anos, mora em Jabotical, abandonou o futebol ou qualquer atividade ligada ao esporte e virou gerente de uma empresa multinacional de produtos químicos para manutenção industrial.

André chegou ao Bangu através do empresário Pedrinho Vicençote, vindo do Nacional/SP. O técnico Ricardo Barreto, no entanto, já conhecia as virtudes do goleiro, afinal trabalharam juntos no América de Três Rios e no Americano.

O goleiro atuou em praticamente todos os jogos que o Bangu fez em 1996 e tem lembranças bem claras de como foi o desempenho do time na temporada:

"Infelizmente, nosso time, na época, complicava para os grandes e perdia pontos bobos para os pequenos, acredito que devido à motivação dos jogadores, devido à evidência que os jogos contra os grandes proporcionavam. Eles acabavam tendo melhor rendimento na esperança de buscarem melhores contratos. Já contra os pequenos a motivação, naturalmente, caía e assim nos complicávamos".

O goleiro lembra também de como o Bangu era "garfado" pelas arbitragens. Em sua melhor partida pelo clube, contra o Vasco, em Moça Bonita, as lembranças remontam um aspecto que o torcedor já está cansado de conhecer:

"Ficamos na frente do placar por duas vezes em um jogo que fiz várias defesas e até peguei um pênalti cobrado pelo Assis, infelizmente fomos prejudicado pelo árbitro, que foi duramente pressionado por todos do Vasco, principalmente pelo Eurico que estava à beira do gramado e só faltava entrar em campo para apitar as seguidas "faltas" que eram dadas sem terem acontecido de fato. Até que o Vasco de tanto pressionar fez o gol de empate e nos acréscimos virou o jogo. Bom isto não é novidade no Rio de Janeiro para favorecer os grandes..."

André era o goleiro também no famoso jogo da rua Conselheiro Galvão, em que o Bangu foi "operado" pelo árbitro Válter Senra, numa das maiores manipulações de resultado da história do futebol.

"Tudo aconteceu: pênalti que não foi, jogo em andamento com jogador expulso em campo, expulsão de jogadores do Bangu, gol impedido. Nós viramos o primeiro tempo em vantagem sobre o Flamengo de Romário e Sávio, mas no intervalo o juiz recebeu em seus vestiários a diretoria do Flamengo, depois disto foi o que vocês viram..."

Mesmo distante do futebol, André guarda boas lembranças dos tempos de Bangu. Destaca os valores da equipe de 1996, como Niélsen, Merica, Macula, Sorato e Serginho. Mas não se esquece também das "tias da cozinha da Toca do Castor".

Hoje, o Bangu nem a Toca tem mais...

Sobre este momento atual, o ex-goleiro é enfático: "É uma pena como está o Bangu hoje, na verdade é a realidade não só do Bangu mas de várias outras equipes pequenas. Espero que possa realmente ocupar um local de destaque no futebol carioca e brasileiro. Tradição para isto tem, só falta investidores".

Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube.
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.133
Vitórias 1.728
Empates 979
Derrotas 1.426
Gols Pró 7.305
Gols Contra 6.332
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 231
Moacir Bueno 203
Nívio 152
Menezes 137
Zizinho 125
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 98
Arturzinho 93
Marinho 83