Rio de Janeiro, sábado, 22 de julho de 2017 - 03h49min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informa��o » Por onde anda?
CLÁUDIO ADÃO, ex-jogador do Bangu
01/06/2010
 

Encontramos Cláudio Adalberto Adão, último artilheiro do Bangu em um Campeonato Carioca (1984), no campo do Ceres. Hoje, o ex-atacante é técnico do Duquecaxiense, que venceu o Juventus, do treinador Marinho, por 5 a 3.

Cláudio Adão está com 55 anos e fez questão de conversar conosco sobre sua passagem pelo Bangu em 1984 e 1985.

Contratado junto ao Vasco para participar do Carioca de 1984, Cláudio Adão confessou que nunca chegou a assinar papel nenhum no Bangu: "Não assinei contrato com o Bangu ou com o Castor. Era tudo de boca e sem qualquer tipo de problema".

Naquele ano, marcou 12 gols e se tornou o artilheiro máximo do campeonato, ao lado de Baltazar, do Botafogo. Viveu seu grande momento na partida contra o próprio Vasco, no Maracanã, quando marcou quatro gols de cabeça (sendo que um foi creditado erroneamento pelo juiz ao Ado).

"Meu momento mais marcante foi ter sido artilheiro do estadual pelo Bangu, quando todos pensaram que seria a decadência do Cláudio Adão jogar pelo Bangu. Era um grande time, mesmo não tendo uma grande torcida" - relembrou.

No primeiro semestre de 1985 voltou para o Vasco, perdendo a chance de participar do time que foi vice-campeão brasileiro. Mas, regressou à Moça Bonita para o Campeonato Carioca, na época, realizado no segundo semestre.

Adão não reeditou às boas exibições de 1984 e ficou na reserva de Fernando Macaé, inclusive, na decisão contra o Fluminense. O técnico Moisés só o colocou em campo depois que Paulinho fez o segundo gol dos tricolores. Mesmo assim, teve a chance clara de empatar a partida aos 45 minutos do segundo tempo:

"Vica me segurou, Wright tirou o titulo do Bangu, dificultou a nossa vida, e nunca mais vou me esquecer disso".

Foi um dos últimos grandes momentos do clube, que jamais reeditaria as boas exibições de 1985. Um time inesquecível para Cláudio Adão:

"O Bangu era competitivo, time grande mesmo, embora com nome de pequeno, era a quinta força do Rio, suplantando equipes como o America e fazendo frente aoss grandes. Dava gosto jogar no Bangu, deixei amigos com os quais tenho contato hoje."

Sobre o momento atual do clube, Adão tem até esperanças de voltar a trabalhar aqui:

"Hoje o Bangu se fortalece, mesmo diante de dificuldades, mostrando isso com dois bons campeonatos na Série A, ficando em sexto lugar. Tende a melhorar e a voltar a ser o que era, e gostaria muito de ter a oportunidade de treinar o Bangu em breve".

Para as estatísticas, Cláudio Adão fez 39 jogos pelo Bangu, com 22 vitórias, 12 empates e 5 derrotas, marcando 15 gols e sendo expulso uma vez de campo, justamente por Wright na tendenciosa decisão com o Flu.

Carlos Molinari
Pesquisador da história do Bangu Atlético Clube.
     
Livros
 
Estatísticas 2017
 
Jogos 20
Vitórias 5
Empates 6
Derrotas 9
Gols Pró 19
Gols Contra 32
Saldo de Gols -13
Aproveitamento 35%
Artilheiros 2017
 
Loco Abreu 3
Raphael Augusto 3
Rogerinho 2
Bruno Luiz 2
Leandro Chaves 1
João Guilherme 1
Guilherme 1
Carlinhos 1
Anderson Penna 1
Hygor Guimarães 1
Daniel Bueno 1
Marlon 1
Mauro Silva 1