Rio de Janeiro, quarta-feira, 22 de novembro de 2017 - 20h00min
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Reportagens

TIM - A VOLTA DA VELHA RAPOSA

Chamado à última hora, ele mal teve tempo de papear com o time. Propôs chegar ao empate mas, malandramente, acabou arrancando uma grande vitória

 
Depois ele explicava: “Armei a retranca, deixei só o Luisão e o Dé lá na frente e os gols foram saindo”.

Antes de viajar para São Paulo o técnico Ananias pediu demissão, alegando não suportar as intromissões da diretoria em seu trabalho. Ao chegar a São Paulo o técnico era Luís Alberto, ex-jogador do próprio Bangu. Na hora do jogo contra o Palmeiras – grande surpresa – surgia no banco o velho e sábio Elba de Pádua Lima, o Tim:

- Estava em Rio das Ostras, gozando minha aposentadoria com a família, quando recebi o convite desse meu grande amigo e não pude recusar.

O grande amigo é Castor de Andrade, patrono e todo-poderoso presidente do Conselho Deliberativo do Bangu, acusado pelo demissionário Ananias de querer escalar o time:

- Ah, então ele gosta de escalar o time – comenta a velha raposa com a mesma frieza com que arquiteta suas estratégias fatais. – Tudo bem então. Desde que ele escale os 11 que eu quero, não me importo.

E Tim parecia muito à vontade nos festivos vestiários do Bangu, logo após a vitória contra o Palmeiras. Rodeado de cartolas, cumprimentado por torcedores – quem diria? O Bangu tem torcida organizada com charanga e tudo acompanhando-o por onde quer que vá – o grande Tim, mestre dos estrategistas, dizia de sua dupla alegria de voltar ao futebol e ao Bangu:

- Não, não fui campeão. Mas fui técnico do Bangu em 63 e comecei a formar o time que haveria de ser campeão três anos mais tarde. Hoje queremos repetir aquela experiência. Vamos formar um time para ser campeão. Temos uma base, alguns jogadores experientes como o Moisés, o Carlos Roberto, o Dé. Mas vamos trabalhar, procurar juvenis e vamos formar um grande time para ser campeão.

No começo, porém, chegou sem tanta ambição. Diz que não teve muito tempo para armar o esquema de seu time, mas orientou-o como a velha raposa:

- Teoricamente o Palmeiras é um time superior ao Bangu. Então tínhamos de ficar na defesa, jogando com muita cautela para tentar o empate. Na frente mandei que ficassem o Dé e o Luisão, jogando bem aberto para explorar as subidas dos laterais do Palmeiras. Eles costumam subir muito. Nossa chance estava ali.

E o Bangu venceu o Palmeiras. A velha raposa merece esta volta triunfante.


Repórter: Maurício Cardoso.
Fonte: Revista Placar, nº 519, de 11/04/1980.

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.116
Vitórias 1.713
Empates 980
Derrotas 1.423
Gols Pró 7.267
Gols Contra 6.306
Saldo de Gols 961
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 202
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 124
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83