Fundado em 17 de abril de 1904
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

27/01/2002 - BANGU 3 x 0 PORTUGUESA (SP)

FICHA TÉCNICA
Competição:
Torneio Rio-São Paulo
Local:
Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho
Árbitro:
Wallace Nascimento Valente (ES)
Eduardo; Rogério (China), Cléberson, Daniel e Marquinhos; Cléber, Zada, Renatinho (Abel) e Léo; João Rodrigo e Bruno Lazaroni (Fabiano)
Técnico: Miguel Ferreira
  
Bosco; Alexandre Chagas, Vinícius, Rogério Pinheiro e Alemão; Élson, Marcus Vinícius, Sandro Fonseca e Evandro; Ricardo Oliveira e Sinval
Técnico: Candinho
Bangu 1 x 0: João Rodrigo, aos 39min do 1º tempo
Bangu 2 x 0: João Rodrigo, aos 8min do 2º tempo
Bangu 3 x 0: Zada, aos 23min do 2º tempo
Cléberson(Bangu); Paulo Fabrício (Portuguesa)
Sandro Fonseca (Portuguesa)

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu faz 3 a 0 em cima da Portuguesa
Fo
nte: Agência Folha

SÃO PAULO - Com Ricardo Oliveira perdendo até pênalti, a Portuguesa não foi o mesmo time que jogou na estréia do Rio-São Paulo e perdeu por 3 a 0 do Bangu, neste domingo, reabilitando o time carioca.

Apesar do ritmo lento, o time paulista começou melhor a partida, debaixo de um calor de quase 40 graus no estádio Moça Bonita e construiu algumas boas chances de marcar.

A melhor delas foi com Sandro Fonseca, que recebeu livre o cruzamento de Ricardo Oliveira, mas cabeceou para fora do gol do Bangu.

Ao contrário do que se esperava, a dupla de atacantes Ricardo Oliveira e Sinval não mostrou o mesmo entrosamento que na partida contra o São Caetano e nos treinamentos da semana.

O castigo veio no final da primeira etapa, quando João Rodrigo aproveitou-se de uma bobeira da defesa lusa e abriu o placar para os donos da casa, aos 38min.

Na segunda etapa, quando se esperava a reação da Lusa, o time foi surpreendido, novamente por João Rodrigo, que ampliou o placar aos 8min.

O resultado desmontou o esquema tático da equipe paulista, que passou a buscar o gol de qualquer maneira, abrindo espaços perigosos para o contra-ataque do rival.

E foi graças à boa atuação do goleiro Bosco, com pelo menos duas boas defesas, a derrota não foi por uma contagem ainda maior.

Mas, aos 23min, a pesada defesa da Portuguesa permitiu mais um rápido contra-golpe do Bangu e Zada fez o que seria o último gol da vitória de seu time, de pênalti.

Além disso, o atacante Ricardo Oliveira, maior esperança de gol da equipe do técnico Candinho ainda perdeu um pênalti, que poderia ter dado novo ânimo ao resto do elenco para tentar buscar um resultado melhor na partida, aos 27min.

Com a vitória, o Bangu chegou a três pontos na competição (sétimo lugar), já que havia perdido na primeira rodada do Rio-São Paulo para o Guarani.

A Lusa parou nos três pontos ganhos, graças aos 2 a 0 sobre o São Caetano e caiu para o 11º posto na tabela de classificação.

Na próxima quarta-feira, o Bangu vai até Jundiaí enfrentar o Etti Jundiaí. No mesmo dia, a Portuguesa recebe o Flamengo no Canindé.

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu derrota Portuguesa por 3 a 0
Fo
nte: O Globo

Sob um calor de 40 graus, o Bangu conquistou sua primeira vitória no Torneio Rio-São Paulo ao vencer ontem a Portuguesa por 3 a 0, em Moça Bonita. E a Portuguesa perdeu uma grande chance de chegar à liderança da competição com a derrota. Agora, a equipe paulista ocupa a 11 posição na tabela da competição. Com a vitória, o Bangu, que perdera na estréia para o Guarani, fica na 7 colocação.

A Lusa — que conseguira uma boa uma estréia com vitória sobre o São Caetano e chegou ao Rio como favorita — foi totalmente dominada pelo Bangu. O destaque da partida foi o atacante João Rodrigo, que fez dois gols na partida. O primeiro foi aos 39 minutos do primeiro tempo.

Ele voltou a marcar aos oito minutos do segundo tempo. A Portuguesa, então, teve de jogar mais ofensivamente e abriu espaços para contra-ataques. Apesar disso, a equipe paulista oferecia pouco perigo. O Bangu assim não teve dificuldades para chegar ao terceiro gol.

Aos 23 minutos, Zeda, de pênalti, fez 3 a 0 e consolidou a vitória do time carioca. A Portuguesa ainda teve uma ótima chance através de Ricardo Oliveira, que desperdiçou um pênalti. Com boa atuação, o goleiro Bosco ainda salvou a Portuguesa de uma derrota maior.

Na próxima quarta-feira, o Bangu jogará contra o Etti Jundiaí, em Jundiaí.

. . . . . . . . . . . . . . .

Time vence a Portuguesa em Moça Bonita
Fo
nte: O Dia

No embalo do domingo feliz para os cariocas, Bangu impõe 3 a 0 à Lusa, na primeira vitória no Rio-SP

O Bangu conseguiu ontem a sua primeira vitória no Torneio Rio-São Paulo, de forma surpreendente, ao golear a Portuguesa por 3 a 0, em Moça Bonita. Os gols foram marcados por João Rodrigo (2) e Zada.

O Bangu aproveitou o forte calor que fazia no Rio para jogar na base da velocidade em cima da pesada defesa adversária. Aos 38min, o atacante João Rodrigo abriu o placar, chutando na saída do goleiro Bosco.

Na segunda etapa, o Bangu continuou atuando com segurança na defesa e aproveitando os contra-ataques. E foi assim que o time da casa chegou ao segundo gol, aos 8min, mais uma vez com João Rodrigo.

A Portuguesa ficou perdida e acabou sofrendo o terceiro gol, aos 23 minutos. O autor foi Zada, que pertence ao Vasco e ficará em Moça Bonita até o fim do semestre. Quarta-feira, o Bangu vai enfrentar, fora de casa, o Etti Jundiaí.

. . . . . . . . . . . . . . .

Bangu escaldante: 3 a 0 na Lusa
Fo
nte: Lance!

Calor forte e grama alta ajudam o Bangu a golear a Portuguesa em Moça Bonita

RIO - O Bangu não precisou suar muito para conseguir sua primeira vitória no Torneio Rio-São Paulo. Pior para a Portuguesa, que levou três gols em pleno caldeirão de Moça Bonita, fervendo sob uma temperatura de 40 graus. João Rodrigo (2) e Zada esquentaram ainda mais o clima para a Lusa e foram os artilheiros da tarde.

Os times começaram a partida em banho-maria. Passes laterais, poucas infiltrações, sem se desgastarem. O Bangu ameaçava mais com os avanços do lateral-esquerdo Marquinhos e alguns chutes de meia distância. Já a Lusa, que estranhou muito a grama alta do gramado, buscava raros contra-ataques.

Na metade da primeira etapa, os times já sentiam os efeitos do calor. Melhor para os cariocas, acostumados com o clima. Mas o Bangu só foi abrir o placar aos 39 minutos. Num passe errado da defesa da Lusa, Renatinho lançou o atacante João Rodrigo, que entre os zagueiros, desviou do goleiro Bosco.

Os erros da zaga paulista voltaram a se repetir na segunda etapa. Melhor para o oportunista João Rodrigo. Ele viu os zagueiros Vinícius e Rogério Pinheiro baterem cabeça numa disputa de bola no meio, avançou e novamente fez Bosco buscar a bola nas redes.

Candinho estava irritado e tentou alterar postura do time. Mas os defeitos da Lusa eram gritantes e num deles, aos 23 minutos, o meia Leo avançou e só foi parado dentro da área. Zada não desperdiçou o pênalti e fez 3 a 0. A Lusa poderia diminuir, mas o goleiro Eduardo defendeu um pênalti cobrado por Ricardo Oliveira.

. . . . . . . . . . . . . . .

Escaldante: Bangu maravilha em Moça Bonita
Fo
nte: Jornal dos Sports (Octavio Pieranti)

Camisas e bandeiras para o alto, ninguém conseguia sentar-se na arquibancada de Moça Bonita. Implacável, o Bangu aproveitou o calor de 40° para golear a Portuguesa por 3 a 0 e acabar com a série de cinco partidas, conseguindo seus primeiros três pontos no Torneio Rio-São Paulo. Na próxima quarta-feira, o Bangu enfrenta o Jundiaí fora de casa.

Desde o dia 10 de outubro, quando o Bangu derrotou o América por 4 a 1 pela Série C do Campeonato Brasileiro, o coração alvirrubro de Rubem Melido, de 68 anos, amargava tristezas. "Não perco um jogo do Bangu. Fui a Campinas e, apesar de o time ter sido derrotado pelo Guarani por 1 a 0, vi que ele é bem melhor que o do ano passado", disse o torcedor, sempre acompanhado por sua esposa, Maria de Lurdes e por sua amiga, Catarina.

"Seu" Rubem estava tenso até os 39 do primeiro tempo. Andando de um lado para o outro da arquibancada, ele explodiu de alegria quando viu Renatinho lançar a bola para João Rodrigo que, após ganhar na corrida do zagueiro, tocou para a rede. A alegria estava só começando. Aproveitando-se de um ataque muito inspirado, composto por Zada, Léo e Renatinho, e da apatia do adversário, que só ameaçou nos primeiros minutos, o Bangu ampliou aos nove do segundo tempo. Após rebatida da defesa, João Rodrigo disparou na pequena área para fazer seu segundo gol.

Moça Bonita era uma festa só. Já não importava mais a luta por um lugar na sombra para fugir do calor. Nem o sol era capaz de conter a empolgação da torcida. Aos gritos de "É goleada!", a galera foi à loucura, quando Zada converteu um pênalti cometido sobre Léo.

Não era o bastante. Brilhou, no fim, a estrela do goleiro Eduardo, que agarrou um pênalti cobrado por Ricardo Oliveira. "Essa equipe foi montada às pressas, mas tem muito potencial", vibrou o técnico Miguel Ferreira. Feliz como há muito tempo não ficava, Rubem visitou o vestiário e já pensava em arrumar logo suas malas ruma à Jundiaí.


Atuações:

EDUARDO - Em boa fase, deu segurança ao time. Defendeu até pênalti. Nota 7,5
ROGÉRIO - Não comprometeu. Nota 6. CHINA - Com muita garra, lutou para levar o time ao ataque. Nota 6,5
CLEBERSON - Fez um pênalti desnecessário em Alexandre Chagas, mas se saiu bem. Nota 6
DANIEL - Bem na marcação, foi uma barreira para o ataque da Portuguesa. Nota 7
MARQUINHOS - Mal no início, criou boas jogadas de ataque no segundo tempo. Nota 6,5
CLEBER - Único volante do time, conseguiu dificultar os avanços do adversário. Nota 6,5
RENATINHO - Inteligente e oportunista, criou diversas jogadas de ataque. Já é uma referência para o time. Nota 8. ABEL - Entrou no fim e nada fez. Sem nota
LÉO - Após ficar afastado do time por contunsão, voltou bem e mostrou por que é uma das grandes esperanças do time . Nota 7
ZADA - Cérebro da equipe, fez bons lançamentos e comandou o meio-de-campo. Também voltou para marcar. Nota 7,5
BRUNO LAZARONI - Errou vários passes e não aproveitou as boas oportunidades. Nota 5. FABIANO - Técnico, acionou bem o ataque. Nota 6,5
JOÃO RODRIGO - Parado desde o dia 10 de dezembro, quando se submeteu a uma artroscopia, ele aproveitou duas oportunidades para dar dar a vitória ao Bangu. Nota 9

     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.157
Vitórias 1.731
Empates 990
Derrotas 1.436
Gols Pró 7.339
Gols Contra 6.366
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 204
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 126
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83