Fundado em 17 de abril de 1904
Clube
História
Estádios
Símbolos
Presidentes
Futebol
Jogos
Títulos
Atletas
Técnicos
Competições
Informação
Livros
Crônicas
Reportagens
Por onde anda?
Estatísticas
Gerais
Confrontos
Campanhas
Ranking CBF
Competições
Multimídia
Fotos
Áudios
Vídeos

» 1ª Página » Informação » Notícias » Jogos

17/03/2002 - BANGU 2 x 5 FLAMENGO (RJ)

FICHA TÉCNICA
Competição:
Torneio Rio-São Paulo
Local:
Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho
Árbitro:
Willian Souza Neri (RJ), auxiliado por Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ) e Elson Passos Filho (RJ)
Eduardo, China, Cleberson, Rogério e Marquinhos (Léo); Hélder, Cléber, Wellington (Beto) e Zada; Renatinho e Luiz Carlos (Suzano)
Técnico Miguel Ferreira
Júlio César, Maurinho, Juan, Fernando e Athirson (Ânderson); Leandro Ávila (Rocha), Beto, Felipe Mello e Juninho; Andrezinho e Leandro Machado (Roma)
Técnico: João Carlos
Bangu 1 x 0: Renatinho, aos 11min do tempo
Bangu 1 x 1: Juninho, aos 32min do tempo
Bangu 1 x 2: Felipe Mello, aos 37min do tempo
Bangu 1 x 3: Juninho, aos 42min do tempo
Bangu 2 x 3: Léo, aos 8min do tempo
Bangu 2 x 4: Andrezinho, aos 19min do tempo
Bangu 2 x 5: Juninho, aos 24min do tempo
China e Cleberson (Bangu); Beto e Roma (Flamengo)

. . . . . . . . . . . . . . .

Flamengo goleia o Bangu: 5 a 2
Fo
nte: Lancepress!

Time joga bem e conquista a segunda vitória consecutiva no Rio-São Paulo. Bangu continua ameaçado pelo rebaixamento

O Flamengo continuou o esboço de reação no Torneio Rio-São Paulo ao derrotar o Bangu, nesta quarta-feira em Moça Bonita, por 5 a 2, com gols de Juninho (3), Felipe Mello e Andrezinho. Renatinho e Léo descontaram para o Bangu. Jogando bem, o time rubro-negro conquistou sua segunda vitória consecutiva na competição, e chegou aos 11 pontos na tabela do Rio-São Paulo, se distanciando das últimas colocações. O Bangu, com a derrota, permaneceu com 5 pontos e ainda ameaçado pelo rebaixamento.

Contrariando o que se veria mais adiante, o Flamengo iniciou a partida repetindo as fracas atuações anteriores em jogos do Rio-São Paulo e da Copa Libertadores. Atuando burocraticamente no meio-campo, o time rubro-negro não assustava o Bangu que, em sua casa, partia para o ataque. Tanto que as primeiras chances do jogo foram do time da casa. Logo aos 3, Marquinhos lançou bola no ataque, mas a jogada parou nas mãos do goleiro Júlio César. E aos 11, o gol banguense: Na grande área, Zada ajeitou a bola, que rebateu na zaga e sobrou para Renatinho, que chutou para o fundo da rede.

Mesmo em desvantagem no placar, o Flamengo continuava não partindo para o ataque, o que só aconeteceria a partir dos 20 minutos de jogo, quando Beto passaria a organizar as jogadas ofensivas do time. Antes time, o Bangu poderia ter ampliando o marcador, quando, aos 16, Renatinho desperdiçou duas chances na entrada da área rubro-negra.

Tirando chutes de longa distância dados por Juninho e Athirson, o primeiro lance de perigo do Flamengo aconteceu com Beto que, em cobrança de falta, aos 17, obrigou o goleiro Eduardo a fazer uma difícil defesa. A partir daí, e com Roma substituindo Leandro Machado, que deixou o campo lesionado, o Flamengo cresceu no jogo e passou a mostrar um futebol diferente do que vinha apresentando. Aos 27, o time teve a primeira chance para virar: Juninho cruzou rasteiro na pequena área, mas Andrezinho completou pela linha de fundo.

A virada rubro-negra, entretanto, viria na jogada seguinte, aos 32. Beto lançou na entrada da área e Juninho teve apenas o trabalho de empurrar para o fundo do gol. O terceiro gol aconteceu aos 37, refletindo a superioridade alcançada pelo Flamengo na partida. Novamente com a participação de Beto, que cobrou uma falta com violência na área e viu o goleiro Eduardo dar rebote para Felipe Mello ampliar o placar.

Com duas substituições o Bangu começou a segunda etapa da mesma maneira que o primeiro: pressionando o Flamengo. Aos 7, Leo, que entrara no intervalo, arrancou pela direita e tocou para Renatinho, que mandou por cima do gol. Aos 8, o mesmo Léo arriscou um chute rasteiro e diminuiu o placar. Flamengo 3 a 2.

Após marcar o gol, o Bangu por pouco não chegou ao empate. Jogando em velocidade, o time teve duas chances claras de gols: aos 13, em arrancada de Leo pelo meio, e aos 15, com o mesmo Léo, diante de Júlio César, mandando pela linha de fundo.

As forças do Bangu, contudo, terminaram com as chances desperdiçadas. Bastaram Juninho, Beto e Andrezinho melhorarem seus desempenhos para o Flamengo construir uma tranqüila goleada de 5 a 2.

Aos 19, Roma tocou para Beto. O meia cruzou na área e Maurinho escorou, marcando o quarto gol. O quinto surgiu aos 24, quando Andrezinho, em excelente passe, encontrou Juninho na área. O jogador apenas desviou do goleiro Eduardo para marcar.

Chances para o Flamengo ampliar a goleada existiram. Mas para um time que está lutando para fugir das últimas colocações do Torneio Rio-São Paulo e não não jogava bem há tempos, a vitória e o placar foram mais do que festejados por jogadores e comissão técnica. Diante de um Bangu que, se exibe alguns valores individuais, peca na fraqueza de seu conjunto.
     
Livros
 
Estatísticas
 
Jogos 4.157
Vitórias 1.731
Empates 990
Derrotas 1.436
Gols Pró 7.339
Gols Contra 6.366
Saldo de Gols 973
Artilheiros
 
Ladislau 229
Moacir Bueno 204
Nívio 152
Menezes 138
Zizinho 126
Luís Carlos 119
Paulo Borges 109
Décio Esteves 97
Arturzinho 93
Marinho 83