Bangu Atlético Clube: sua história e suas glórias
Prefeitura doa parte da estrutura do Estádio Aquático Olímpico dos Jogos Rio 2016 ao Bangu Atlético Clube
01/09/2022
Escola de Samba Lins Imperial também vai receber materiais para realizar obra em sua sede
Foto: Fabio Motta
Jorge Varela e Eduardo Paes

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciou, nesta quinta-feira (1), a doação das estruturas das fachadas e da cobertura do Estádio Aquático Olímpico, palco das provas de natação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, para o Bangu Atlético Clube. Em continuidade ao plano de Legado Olímpico, o clube da Zona Oeste vai receber as estruturas, que serão utilizadas no Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho, o Moça Bonita.

– Foi uma iniciativa do Bangu, que nos procurou para que trouxéssemos parte das estruturas olímpicas para cá, algo que já tínhamos feito com a Portuguesa, da Ilha do Governador. A Prefeitura está reaproveitando os equipamentos dos Jogos. É como se fosse um lego, nós montamos tudo para depois ser desmontado e reutilizado, sem a cidade ficar com arenas sem utilização. O Bangu é um clube de muita tradição, e os clubes têm relação com a construção da identidade da nossa cidade. O Bangu é um dos mais marcantes nisso – afirmou Eduardo Paes.

O anúncio da doação foi feito no Estádio Moça Bonita e contou também com a presença da secretária de Infraestrutura, Jessick Trairi; do presidente da Rio-Urbe, Rafael Salgueiro; do presidente executivo do Bangu, Jorge Lira; e do presidente do conselho diretor do clube, Jorge Varela.

De acordo com a prefeitura, as fachadas, cobertura e parte da estrutura metálica que formavam as arquibancadas do complexo aquático serão retiradas pela Rio-Urbe. A previsão é que o material seja reaproveitado nas coberturas da arquibancada, da área de transmissão, do estacionamento e das áreas de acesso aos banheiros e vestiários do Estádio Moça Bonita.

Além disso, com esse material o Bangu pretende revitalizar a cobertura do estacionamento, arquibancadas na quadra e fazer a reforma do telhado do salão nobre de sua sede social. O clube será responsável pelo transporte e montagem das estruturas, e os serviços também serão custeados integralmente pela instituição.